for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Barco com imigrantes atraca no porto de Lampedusa, na Itália

MILÃO (Reuters) - Um barco de resgate com imigrantes atracou no porto de Lampedusa neste sábado, desafiando uma proibição para entrar em águas italianas, no segundo episódio de disputa entre uma organização não-governamental e o governo italiano em uma semana.

Antes, o veleiro Alex, com 41 imigrantes a bordo, recusou uma oferta do governo maltês para ir a Malta. A ONG que opera a embarcação alegou que a longa viagem colocaria em risco as pessoas a bordo.

O barco atracou no mesmo cais em que outra embarcação de ajuda humanitária colidiu com um barco da polícia italiana, há uma semana, quando decidiu levar os imigrantes para a costa após passar duas semanas em águas internacionais.

“Os imigrantes devem ser desembarcados imediatamente e serem cuidados”, disse a ONG Mediterranea em uma publicação no Twitter.

O ministro do Interior italiano, Matteo Salvini, disse porém que não “cederá a chantagem”.

“Não estou autorizando pessoas que ignoram as leis italianas e ajudam traficantes de humanos a desembarcar”, disse Salvini, líder da direitista Liga, no Twitter.

Salvini disse que as forças armadas estão prontas para intervir.

O Alex foi escoltado até Lampedusa por uma embarcação da marinha italiana e um barco da patrulha marítima. Dezenas de policiais esperavam no cais. Os imigrantes ficaram no deck vestidos com coletes salva-vidas.

Reportagem adicional de Wladimir Pantaleone em Palermo

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up