for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Huawei vai parar produção de chipsets Kirin conforme aumenta pressão dos EUA, diz mídia chinesa

XANGRAI/SHENZHEN, China (Reuters) - A Huawei Technologies Co [HWT.UL] interromperá a fabricação de seus chipsets Kirin no próximo mês, afirmou a revista financeira Caixin, neste sábado, à medida em que cresce os impactos da pressão dos EUA sobre a gigante chinesa de tecnologia.

A pressão norte-americano sobre os fornecedores da Huawei tornou impossível para a divisão de chips da empresa, HiSilicon, continuar fabricando os chipsets, componentes-chave de telefones celulares, afirmou o presidente-executivo da Unidade de Negócios do Consumidor da Huawei, Richard Yu, segundo a publicação, no lançamento do celular Mate 40 da empresa.

Com as relações entre China e EUA no pior momento em décadas, Washington está pressionando governos ao redor do mundo a boicotarem a Huawei, argumentando que ela entregaria dados à espionagem do governo chinês. A Huawei nega que espione para a China.

Em maio, o Departamento do Comércio dos Estados Unidos editou decretos que exigem que fornecedores de softwares e equipamentos de manufatura não façam negócios com a Huawei sem primeiro obter uma licença.

A HiSilicon, da Huawei, depende de softwares de empresas norte-americanas como Cadence Design Systems Inc ou Synopsys Inc para projetar seus chips e terceiriza a produção à Semiconductor Manufacturing Co (TSMC), de Taiwan, que usa equipamentos de empresas norte-americanas.

A Huawei se recusou a comentar a reportagem da Caixin. TSMC, Cadence e Syonpsys não responderam imediatamente aos e-mails pedindo comentários.

Reportagem de Josh Horwitz, em Xangai, e David Kirton, em Shenzhen

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up