16 de Setembro de 2013 / às 21:18 / em 4 anos

Tiroteio em base naval de Washington deixa 13 mortos

WASHINGTON, 16 Set (Reuters) - Um homem de 34 anos abriu fogo em uma base naval dos Estados Unidos em Washington nesta segunda-feira, num tiroteio que deixou 13 mortos na instalação militar não muito longe do Capitólio dos Estados Unidos e da Casa Branca, disseram autoridades.

Helicóptero levanta vítima sobre uma base naval dos Estados Unidos em Washington, EUA. 16/09/2013 REUTERS/Jonathan Ernst

O suspeito, identificado pelo FBI como Aaron Alexis, de Fort Worth, Texas, estava entre os mortos, e as autoridades disseram que estavam à procura de outro suposto atirador que vestia roupas de estilo militar.

Mais cedo, autoridades disseram que procuravam dois homens, mas, em seguida, confirmaram que a polícia havia determinado que um deles não era suspeito no tiroteio, que começou por volta de 8h30 no horário local (9h30 em Brasília).

O prefeito de Washington e a chefe de polícia local haviam dito que 12 pessoas morreram no tiroteio na Naval Sea Systems Command, um dos cinco desses comandos, onde civis, militares e empreiteiros compram e mantêm navios da Marinha e submarinos. Cerca de 3 mil pessoas trabalham lá.

“Não temos nenhuma indicação de motivo neste momento”, disse a chefe de polícia de Washington, Cathy Lanier.

Uma autoridade da Marinha disse à Reuters que Aaron Alexis, o atirador de 34 anos suspeito de estar por trás do tiroteio desta segunda-feira, serviu em tempo integral na reserva da Marinha dos Estados Unidos de maio de 2007 a janeiro de 2011.

Ainda não estava claro se Alexis trabalhava em uma capacidade civil na base naval no momento do incidente, afirmou a autoridade.

Patricia Ward, que trabalha na base naval, disse ter ouvido três tiros, e, após uma pausa, mais quatro tiros.

“Todo mundo estava em pânico e tentando decidir qual o caminho para sair”, afirmou Ward a repórteres, acrescentando que guardas pediram para as pessoas correrem.

Entre os feridos estava um policial do Distrito de Columbia e um outro agente de segurança, disseram autoridades.

“Nós estamos enfrentando mais um tiroteio em massa, e hoje isso aconteceu em outra instalação militar, na capital da nossa nação”, disse o presidente do país, Barack Obama, que prometeu promulgar medidas de controle de armas, depois que um atirador matou a tiros 20 crianças e seis adultos em uma escola primária, em Connecticut, em dezembro.

“Eles conhecem os perigos de servir no exterior, mas hoje eles enfrentam a violência inimaginável aqui em casa”, completou Obama, no início de um discurso sobre a economia dos EUA.

Por Deborah Charles e Phil Stewart

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below