June 7, 2014 / 12:52 AM / in 4 years

Metroviários de SP decidem manter greve por tempo indeterminado

SÃO PAULO (Reuters) - Os metroviários de São Paulo decidiram em assembleia nesta sexta-feira manter a greve por melhores salários por tempo indeterminado, a menos de uma semana para o jogo de abertura da Copa do Mundo, na capital paulista.

Passageiro senta em frente ao portão fechado da estação Barra Funda, do Metrô de São Paulo, durante greve dos metroviários na quinta-feira. 05/06/2014 REUTERS/Nacho Doce

No segundo dia da paralisação, a cidade teve transtornos e congestionamentos, com ônibus lotados e confrontos entre polícia e grevistas. Segundo o site do Metrô-SP, apenas duas linhas de metrô operavam normalmente, e três linhas tinham operações parciais.

“Diante da repressão policial, da ameaça, da inflexibilidade da empresa, nós decidimos manter a greve até que o governo (estadual) negocie”, disse à Reuters um diretor do Sindicato dos Metroviários que preferiu não ser identificado.

A tropa de choque da Polícia Militar de São Paulo foi acionada no início do dia e usou gás lacrimogêneo para liberar o acesso à estação Ana Rosa, na zona sul, próxima à região central da cidade, que teve a entrada bloqueada por um piquete de grevistas.

Representantes do Metrô-SP e do sindicato não chegaram a um acordo na reunião de conciliação realizada no fim da tarde desta sexta-feira no Tribunal Regional do Trabalho.

Os metroviários mantiveram a reivindicação de reajuste de 12,2 por cento, enquanto o Metrô não alterou a sua proposta de 8,7 por cento.

“O Metrô foi inflexível na sua proposta e apresentou a mesma proposta apresentada anteriormente”, afirmou o diretor, acrescentando que os grevistas reivindicam, além do reajuste salarial de dois dígitos, um novo plano de carreira.

A prefeitura voltou a suspender o rodízio de carros nesta sexta-feira, quando a chuva também contribuiu para que o trânsito registrasse 234 quilômetros de lentidão na capital paulista, segundo informações da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).

Os ônibus operavam com reforço de frota, segundo a SPTrans, mas estavam sobrecarregados. Imagens de emissoras de TV mostravam veículos lotados e grandes filas para pegar os coletivos.

Os transtornos ocorreram no dia em que a seleção brasileira de futebol jogou um amistoso contra a Sérvia no Estádio do Morumbi, na zona sul de São Paulo, o último jogo preparatório antes da estreia na Copa do Mundo, na semana que vem, contra a Croácia.

Na quinta-feira, incidentes violentos foram registrados na estação Corinthians-Itaquera, próxima à Arena Corinthians, palco da abertura do Mundial.

O Metrô-SP não pôde ser imediatamente contatado para comentar o assunto.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below