September 10, 2014 / 10:49 PM / 4 years ago

Consultas ao BNDES tem aumento moderado no 3o trimestre

RIO DE JANEIRO (Reuters) - As consultas por financiamentos do BNDES estão tendo um aumento moderado no terceiro trimestre, num sinal de que após dois trimestres de queda a economia brasileira pode estar iniciando uma recuperação, disse o presidente do banco, Luciano Coutinho.

“O terceiro trimestre mostra sinais de reativação, seja pela produção industrial de agosto, seja porque estamos sentindo também uma melhoria relativa nas consultas ao BNDES”, disse Coutinho a jornalistas.

Coutinho frisou que os números internos do banco mostram que as consultas por empréstimos tiveram cresceram. “Temos um sinal moderado de recuperação da atividade econômica no terceiro trimestre. As consultas também tiveram um aumento moderado de 7 a 8 por cento”, declarou.

No primeiro e segundo trimestres, o Produto Interno Bruto (PIB) teve retração, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), pondo o país na chamada recessão técnica. Segundo Coutinho, essa trajetória começa a ser revertida.

“A economia parou de cair e está numa trajetória de retomada moderada”, disse.

Segundo Coutinho, as liberações estão um pouco abaixo do ano passado e o volume de desembolsos vai depender do ritmo de recuperação da economia e do nível de emissão de debêntures para o setor, que por enquanto vem frustrando as expectativas e exigindo esforço extra de financiamentos pelo banco.

“Com a conjuntura de juros, a expansão de debêntures ficou mais difícil. Nossa expectativa era que fosse maior. A Selic mais alta para conter a inflação tende a postergar a emissão e isso vai exigir transitoriamente mais do banco”, declarou.

A taxa Selic está em 11 por cento ao ano, mesmo patamar há três reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom) para fazer frente ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) que subiu 6,51 por cento em 12 meses até agosto, ligeiramente acima do teto da meta de 6,5 por cento para esse ano.

Questionado se o banco precisaria de mais aportes do Tesouro Nacional — este ano já foram aprovados cerca de 30 bilhões de reais — para fazer frente aos pedidos de financiamento, Coutinho deixou a questão em aberto: “é prematuro dizer isso. Estamos observando uma mudança e certa recuperação da economia e das consultas. Vamos ver como a coisa anda”.

Por Rodrigo Viga Gaier

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below