January 30, 2015 / 5:09 PM / 3 years ago

Câmara e Senado elegem presidentes em decisão que deve dar tom de relação com governo

Por Eduardo Simões

Vista geral do plenário da Câmara dos Deputados durante sessão em 2014. 03/12/2014 REUTERS/Ueslei Marcelino

SÃO PAULO (Reuters) - Chegam ao fim no próximo domingo as disputas pelas presidências da Câmara dos Deputados e do Senado que devem dar o tom das relações do governo da presidente Dilma Rousseff com o Congresso nos próximos dois anos, período em que ela precisará do Parlamento para aprovar medidas de ajuste fiscal e reformas em meio a um cenário de fraqueza econômica.

Dilma corre o risco de ter pela frente presidentes “independentes” em relação ao Executivo tanto na Câmara como no Senado, embora seja entre os deputados que os riscos para o Executivo pareçam maiores.

O líder do PMDB, Eduardo Cunha (RJ), é um desafeto do Palácio do Planalto, apesar de ser do mesmo partido do vice-presidente Michel Temer, e o tom da disputa com o petista Arlindo Chinaglia (SP), também candidato ao comando da Câmara, tem sido elevado, apesar da preocupação dos governistas de evitar que o duelo deixa sequelas futuras.

“Se são dois candidatos da base, um do partido do vice-presidente da República e outro do partido da presidenta, qualquer um dos dois tem que saber ganhar ou perder sem ameaçar com sequelas”, disse recentemente o líder do governo na Câmara, Henrique Fontana (PT-RS), em resposta a uma declaração de Cunha em que alertou que, se o governo escolhesse um lado da disputa, haveria consequências.

Um dia depois da resposta de Fontana, Cunha aumentou as apostas. Criticou o líder governista culpando-o por derrotas sofridas pelo governo na Casa e anunciou que o PMDB, partido que lidera e o maior da base aliada, não mais trataria com o líder governista.

Além de Cunha e Chinaglia, também estão na disputa pelo comando da Câmara os deputados Júlio Delgado (PSB-MG) e Chico Alencar (PSOL-RJ).

Delgado tem o apoio de PSB, PSDB, PPS e PV, mas nos últimos dias sua candidatura tem sofrido com a sinalização de que haverá dissidências tucanas em direção à candidatura de Cunha, que tem se reunido com lideranças do PSDB.

Alencar, por sua vez, tem pouco apoio e sua candidatura deve servir apenas para que o PSOL marque posição na disputa.

Já no Senado, onde a vida do governo parecia mais tranquila com a reeleição de Renan Calheiros (PMDB-AL), que tem sido fiel ao Planalto, o cenário se complicou com a decisão do senador Luiz Henrique (PMDB-SC) de lançar-se candidato.

Renan sequer oficializou sua candidatura e sugeriu ao colega de partido que a bancada peemedebista decidisse o nome da sigla para a presidência da Casa, sugestão rejeitada pelo senador catarinense.

“Eu disse que na política se trabalha com realidade. Eu sei quantos votos eu tenho na bancada. Não poderia submeter à vontade de um grupo menor a vontade de um grupo que perpassa diversos partidos”, disse Luiz Henrique a jornalistas após reunião com Renan.

Com a candidatura “irreversível”, nas palavras de Luiz Henrique, deve haver um racha dentro do PMDB, contrariando a orientação da Executiva do partido, que decidiu apoio unânime aos candidatos indicados nas duas Casas do Congresso.

A candidatura de Luiz Henrique —classificada por ele e por aliados como de renovação, não de oposição— agrada os partidos oposicionistas, que buscavam uma candidatura alternativa à de Renan saída da base aliada. As articulações nesse sentido tiveram a participação do presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG).

Uma reunião da bancada peemedebista no Senado foi marcada para sexta-feira, antevéspera da eleição do domingo, para tratar da disputa pelo comando do Senado.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below