February 20, 2015 / 1:28 PM / 3 years ago

Dilma adia entrega de credencial de embaixador indonésio em meio a tensão por penas de mortes

BRASÍLIA (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff não recebeu nesta sexta-feira a credencial do embaixador da Indonésia, Toto Riyanto, que foi avisado de última hora que não seria recebido por Dilma no Palácio do Planalto, em meio a uma tensão entre os dois países devido à execução de um brasileiro condenado por tráfico de drogas no país asiático.

“Nós achamos importante que haja uma evolução na situação para que a gente tenha clareza das condições que estão as relações da Indonésia com o Brasil. O que nós fizemos foi atrasar um pouco o recebimento de credenciais”, disse Dilma a repórteres após cerimônia em que recebeu as cartas credenciais dos embaixadores de Panamá, Venezuela, El Salvador, Senegal e Grécia.

A Indonésia executou no mês passado o brasileiro Marco Archer, de 53 anos, após o governo da Indonésia rejeitar os pedidos de clemência do governo brasileiro.

Outro brasileiro, Rodrigo Gularte, também foi condenado à morte no país asiático por tráfico de drogas e aguarda a decisão final sobre sua eventual execução.

Dilma chegou a telefonar para o presidente da Indonésia, Joko Widodo, para fazer um apelo pessoal em favor de Archer e Gularte, mas não foi atendida.

Após a morte de Archer, o Planalto afirmou em nota que a execução afetava “gravemente” as relações entre os dois países, e o embaixador brasileiro em Jacarta foi chamado de volta a Brasília para consultas.

Por Jeferson Ribeiro

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below