February 23, 2017 / 12:48 PM / a year ago

Nova fase da Lava Jato mira operadores financeiros do PMDB

SÃO PAULO (Reuters) - A Polícia Federal e o Ministério Público Federal lançaram nesta quinta-feira a 38ª fase da operação Lava Jato visando dois operadores financeiros que prestariam serviços para o PMDB no esquema de corrupção na Petrobras, informaram os dois órgãos.

Agente da Polícia Federal visto durante operação no Rio de Janeiro. 30/01/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino

Os dois operadores não tiveram seus nomes revelados pelas autoridades, mas segundo uma fonte com conhecimento das investigações são Bruno Luz e Jorge Luz, e tiveram prisão preventiva decretada, mas estariam no exterior e possuem dupla nacionalidade, de acordo com o Ministério Público.

Além dos dois mandados de prisão preventiva, policiais federais também realizavam 15 mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro, de acordo com a PF.

“Os investigados responderão pela prática dos crimes de corrupção, fraude em licitações, evasão de divisas, lavagem de dinheiro dentre outros”, informou a PF em nota. 

Esta fase da Lava Jato foi batizada de Blackout, em referência ao sobrenome dos acusados e para “demonstrar a interrupção definitiva  da atuação destes investigados como representantes deste poderoso esquema de corrupção”.

A operação teve como base principal depoimentos prestados em acordos de delação premiada reforçados, segundo o MPF, por informações documentais e provas obtidas em acordos de cooperação jurídica internacional.

Os operadores atuariam na diretoria internacional da Petrobras e são suspeitos de intermediar o pagamento de propinas na compra dos navios-sonda Petrobras 10.000 e Vitória 10.000, na operação do navio sonda Vitoria 10.000 e na venda, pela Petrobras, da Transener para a empresa Eletroengenharia, informou o Ministério Público.

Os dois investigados também atuavam, segundo os procuradores, de forma esporádica nas diretorias de Abastecimento e Serviços da estatal.

“As prisões foram decretadas para garantia de ordem pública e para assegurar a aplicação da lei penal, tendo em conta a notícia que os investigados se evadiram recentemente para o exterior, possuindo inclusive dupla nacionalidade”, disse o procurador Diogo Castor de Mattos, que integra a força tarefa da Lava Jato, segundo comunicado do MPF.

Segundo o Ministério Público, na decisão que autorizou o lançamento da 38ª fase da Lava Jato, o juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato em primeira instância, determinou que, caso confirmada a ida dos acusados para o exterior, o nome deles seja incluído na lista de foragidos da Interpol.

Reportagem adicional de Lisandra Paraguassu, em Brasília

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below