19 de Junho de 2017 / às 19:49 / em 6 meses

Temer diz em vídeo que criminosos apontam dedo para fugir de punição, mas que não sairão impunes

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Michel Temer afirmou em vídeo publicado nas redes sociais nesta segunda-feira que o governo cortou favores que privilegiavam poucas empresas e “permitiam a criminosos crescer à sombra dos ilícitos e do dinheiro público”, e disse que aqueles que cometeram irregularidades serão punidos e responsabilizados.

Presidente Michel Temer 30/05/2017 REUTERS/Paulo Whitaker

“Aviso aos criminosos que não sairão impunes. Pagarão o que devem e serão responsabilizados pelos seus ilícitos”, disse Temer no vídeo, no que pode ser uma alusão ao empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS, cuja delação premiada o livrou de penas pelos crimes cometidos. Em entrevista publicada no fim de semana, Joesley acusou o presidente de ser o chefe da “maior e mais perigosa organização criminosa do Brasil”.

“Já está claro o roteiro que criaram para justificar seus crimes: apontam o dedo para outros tentando fugir da punição”, acrescentou Temer.

O presidente é alvo de inquérito autorizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por suspeita de crimes de obstrução da Justiça, organização criminosa e corrupção passiva, em investigação que tem como base a delação de Joesley.

“Acabamos com os favores que privilegiavam apenas algumas poucas empresas. Cortamos as práticas que permitiam a criminosos crescer à sombra dos ilícitos e do dinheiro público jorrado sem limite e com juros camaradas. E muita gente não gostou disso.”

Temer negou que faça retaliações, no que pode ser outra alusão a Joesley, que, na entrevista, acusou o presidente de usar a máquina do governo para retaliá-lo.

“Não pratico retaliações. Por tradição e formação, acredito na Justiça. Sempre respeitei a independência dos poderes. É assim que continuarei agindo”, disse Temer.

O presidente, que nesta segunda embarcou para visitas à Rússia e à Noruega, disse que buscará investimentos para o Brasil nesses dois países. No vídeo, ele voltou a defender as reformas trabalhista e da Previdência, que tramitam no Congresso Nacional.

Reportagem de Ricardo Brito

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below