January 4, 2018 / 12:51 PM / 4 months ago

Para Jefferson, ida de filha para o Trabalho põe fim a estremecimento com bancada do PTB

Por Ricardo Brito

Ex-deputado Roberto Jefferson presta depoimento em comissão de ética do Congresso, em Brasília 14/06/2005 REUTERS/Jamil Bittar

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente do PTB, o ex-deputado Roberto Jefferson, afirmou nesta quinta-feira que a escolha pelo presidente Michel Temer de sua filha, a deputada Cristiane Brasil, para ser ministra do Trabalho põe fim ao estremecimento da bancada do partido com o governo provocado pelo veto do ex-presidente José Sarney à indicação do deputado Pedro Fernandes para ocupar a pasta.

“Eu penso que sim (encerra o estremecimento). A Cris é bem quista na bancada, vai ser uma ministra amiga da bancada, não tem nada contra ninguém. O partido foi prestigiado, não só a bancada, mas o partido também. A mim me toca afetivamente, vou brigar ainda mais”, disse ele, em entrevista à Reuters.

Jefferson disse ter levado a Temer e ao ministro da Casa, Civil, Eliseu Padilha, quatro nomes do partido para o cargo de ministro no Trabalho na conversa que tiveram na quarta-feira no Palácio do Jaburu: os deputados Josué Bengston (PA), Sérgio Moraes (RS), Alex Canziani (PR) e Ronaldo Nogueira (RS), que se colocou à disposição para reassumir o cargo do qual pediu demissão no final de dezembro em nome de pacificar a bancada.

Segundo o presidente do PTB, o nome de Cristiane Brasil surgiu durante a conversa a partir de uma indagação de Temer. Ela foi consultada por telefone e aquiesceu com a sondagem — disse que não iria concorrer a cargo eletivo em outubro, condição imposta pelo Palácio do Planalto para os novos ocupantes do primeiro escalão.

O líder do PTB na Câmara, Jovair Arantes (GO), que chegou a criticar publicamente o veto de Sarney ao nome do deputado Pedro Fernandes (PTB-MA), apoiou a indicação da colega de bancada.

Jefferson —que foi condenado no processo do mensalão— chorou ao anunciar na saída do encontro do Temer a escolha da sua filha, e classificou a escolha como um “resgate”.

Ainda assim, o presidente do PTB, primeiro partido da base aliada a fechar questão em favor da reforma da Previdência, disse que o processo de troca no comando do Trabalho não muda o número de votos na bancada da Câmara sobre a proposta: dos 16 deputados do PTB, 3 deles continuam contra — Sérgio Moraes, que era cotado para ser ministro, Arnaldo Faria de Sá (SP) e Deley (RJ).

O ex-parlamentar disse que vai trabalhar para garantir os votos desses deputados à proposta, e destacou estar confiante na aprovação da medida, após considerar que há um aumento do apoio à reforma durante o recesso parlamentar. São necessários 308 votos para aprová-la na Câmara em dois turnos de votação. O governo pretende votá-la no dia 19 de fevereiro.

“Penso que vai bem a reforma, os deputados estão começando a perceber que a opinião pública e os formadores de opinião pública estão a favor, não é uma reforma castradora de direitos”, afirmou. “É o momento, não se pode adiar uma reforma desta importância e desse futuro, temos de fazer”.

SUCESSÃO PRESIDENCIAL

O presidente do PTB afirmou ainda que a sucessão presidencial está “cada vez mais próxima” do governador de São Paulo e presidente do PSDB, Geraldo Alckmin. Segundo Jefferson, Alckmin tem condições de ser o candidato da aliança de partidos que atualmente gravitam em torno de Temer.

“Geraldo tem sido muito testado e tem se mostrado cordato, sereno, vai chegar nele, ele vai acabar sendo o candidato de todos, vai construindo o caminho na dificuldade. Se fosse uma facilidade, ele não ganharia a eleição”, disse.

Para Jefferson, o fato de Alckmin não estar entre os principais cotados nas pesquisas de intenção de voto no momento não tem importância. Segundo ele, o governador vai melhorar seu desempenho nas pesquisas quando começarem os programas de televisão. “O povo vai começar a pensar: quem é esse Geraldo? Ele cresce, vai crescer”, acredita.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below