March 16, 2020 / 11:10 PM / 2 months ago

RJ e SP ampliam medidas restritivas contra coronavírus; Witzel vai declarar emergência

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) - O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), afirmou nesta segunda-feira que o Estado entrará em emergência por causa da pandemia de coronavírus, em medida que amplia restrições à circulação de pessoas e agiliza processos de aquisição de equipamentos e contratação de profissionais de saúde.

Passageiros usam máscaras faciais no aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro 06/03/2020 REUTERS/Ricardo Moraes

Segundo Witzel, a declaração de emergência vai orientar o fechamento de bares, restaurantes e shoppings. Os serviços de delivery poderão ser mantidos, inclusive por estabelecimentos localizados em praças de alimentação de shoppings.

“Em nome de Deus e do bom senso, que as pessoas fiquem em casa durante o período de avanço do coronavírus, e que não encarem a ausência do trabalho e dos estabelecimentos de ensino e comerciais como um período de férias”, disse o governador a jornalistas.

Ele não descartou ir ao Supremo Tribunal Federal (STF) em caso da necessidade de medidas mais enérgicas de restrição.

“Se for o caso de chegarmos à conclusão que medidas mais contundentes terão que ser tomadas, não tomarei sozinho. Vou me reunir com o governador (João) Doria, (Romeu) Zema, Rui Costa, que representam os Estados mais populosos, e vamos ao STF, para que o Supremo diga o que pode e não pode fazer”, afirmou.

“Se nada for feito, vamos ter mais de 20 mil infectados (no Rio). Meu apelo é: não desafiem essa doença.”

SÃO PAULO

O governo de São Paulo também anunciou nesta segunda-feira novas medidas de combate à disseminação do coronavírus, incluindo restrições aos atendimentos presenciais em órgãos como Detran, Poupatempo e Centros de Integração da Cidadania.

Eles passarão a priorizar serviços online e atendimentos à distância, enquanto a rede de restaurantes Bom Prato ampliará os horários de serviço para redistribuir fluxos de pessoas.

Além disso, o governo aumentou as restrições a eventos públicos no Estado, suspendendo por 30 dias situações que possam gerar aglomerações —antes, havia tolerância a atos com até 500 pessoas. A recomendação também vale para eventos privados.

Por Rodrigo Viga Gaier, no Rio de Janeiro, e Gabriel Araujo, em São Paulo

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below