for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up
Nacional

Eduardo Bolsonaro abre crise com a China ao responsabilizar país por epidemia

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, abriu mais uma frente de batalha para o governo, desta vez com a China, maior parceiro comercial brasileiro, ao acusar o governo chinês de ser o responsável pela pandemia de coronavírus. REUTERS/Adriano Machado

BRASÍLIA (Reuters) - Em meio à crise provocada pela epidemia de coronavírus, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, abriu mais uma frente de batalha para o governo, desta vez com a China, maior parceiro comercial brasileiro, ao acusar o governo chinês de ser o responsável pela pandemia ao esconder informações.

Eduardo, que é presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara e chegou a ser indicado pelo pai para ser embaixador dos Estados Unidos na Câmara, retuitou um grupo de tuítes que apontava a responsabilidade do governo chinês na expansão da epidemia, e comentou:

“Mais uma vez uma ditadura preferiu esconder algo grave a expor, tendo desgaste, mas que salvaria inúmeras vidas. A culpa é da China e liberdade seria a solução.”

A resposta da embaixada chinesa foi imediata e dura. Em sua conta pessoal, o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, afirmou que Eduardo é uma “pessoa sem visão internacional nem senso comum, sem conhecer a China e o mundo”. “Aconselhamos que não corra para ser o porta-voz dos EUA no Brasil ou vai tropeçar feio”, escreveu o embaixador.

Wanming marcou em seus posts a Câmara dos Deputados, o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Em um segundo texto, exige que Eduardo “retire imediatamente” suas palavras e peça desculpas ao povo chinês, além de avisar que irá protestar junto ao Itamaraty.

“Além disso, vão ferir a relação amistosa China-Brasil. Precisa assumir todas as suas consequências”, completou o embaixador chinês.

Já no seu Twitter oficial, a embaixada chinesa diz que as palavras do deputado são irresponsáveis e uma imitação de “seus queridos amigos”. “Ao voltar de Miami contraiu, infelizmente, vírus mental, que está infectando a amizade entre nossos povos.”

Procurado pela Reuters, Eduardo Bolsonaro não pode ser contatado de imediato. O Itamaraty não se manifestou.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up