for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up
Nacional

Governo decide centralizar comunicação do coronavírus no Planalto para "unificar narrativa"

Presidente Jair Bolsonaro ao lado dos ministros Guedes e Mandetta no Palácio do Planalto REUTERS/Adriano Machado

BRASÍLIA (Reuters) - Com o objetivo de “unificação da narrativa”, o governo do presidente Jair Bolsonaro decidiu centralizar a comunicação das ações federais de combate ao novo coronavírus no Palácio do Planalto, com determinação para que as entrevistas coletivas dos ministérios ou agências sejam sempre realizadas no local, segundo ofício visto nesta segunda-feira pela Reuters.

A estreia da nova forma de comunicação do governo federal sobre a Covid-19 se dará na tarde desta segunda, com entrevista coletiva sobre a pandemia às 17h no Salão Oeste do Planalto. Com essa entrevista, o Ministério da Saúde cancelou a coletiva diária sobre a pandemia, que estava marcada para as 16h.

“Todas as coletivas de imprensa dos Ministérios ou Agências Federais sobre a Covid-19 deverão ser realizadas no Salão Oeste do Palácio do Planalto”, diz o ofício enviado pela Casa Civil aos demais ministérios.

A mudança ocorre em meio ao conflito de posições do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, com o presidente Bolsonaro quanto às medidas de isolamento social para enfrentar o coronavírus.

No sábado, em reunião no Planalto, o ministro manteve a defesa do isolamento social para conter o avanço do vírus, enquanto Bolsonaro é favorável a um relaxamento das medidas de confinamento, com o objetivo de retomar a atividade econômica no país.

A entrevista desta segunda-feira no Planalto sobre o coronavírus vai contar com a presença de Mandetta e dos ministros da Casa Civil, Walter Braga Netto, da Economia, Paulo Guedes, e da Advocacia-Geral da União, André Mendonça.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up