for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up
Nacional

Mandetta diz que pior da epidemia do coronavírus ainda não passou

Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, em Brasília 14/04/2020 REUTERS/Adriano Machado

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, voltou a alertar nesta quinta-feira para a importância de se evitar aglomerações, ressaltando que o pior da epidemia do novo coronavírus no país ainda não passou.

Mandetta, que disse mais cedo que deve ser substituído entre esta quinta e sexta-feira pelo presidente Jair Bolsonaro devido a diferenças de visões sobre o enfrentamento ao novo coronavírus, destacou que o combate é um processo longo que não se resolve em uma semana.

Em videoconferência com o setor de saúde, Mandetta afirmou que o presidente, com quem tem se desentendido em função da maneira de combater a epidemia, é bem intencionado e está atento ao aspecto econômico, mas também está tentando compatibilizar as diferentes frentes.

Enquanto o ministro defende o isolamento social como forma de frear a disseminação do coronavírus entre a população e assim evitar o colapso do sistema de saúde, Bolsonaro tem dito que o isolamento apenas das pessoas que fazem parte do grupo de risco seria suficiente, e assim seria possível a retomada ampla da atividade econômica, afirmando estar preocupado com o desemprego gerado pela crise.

Reportagem de Lisandra Paraguassu

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up