for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Decreto de Bolsonaro amplia atividades da indústria consideradas como serviços essenciais

Presidente Jair Bolsonaro, ao lado de ministros, políticos e empresários, do lado de fora do STF 07/05/2020 REUTERS/Adriano Machado

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro ampliou a lista de serviços considerados essenciais durante a pandemia do novo coronavírus, com novas atividades industriais entre aquelas que podem continuar funcionando, segundo decreto publicado nesta quinta-feira.

No decreto, Bolsonaro inclui “atividades industriais, obedecidas as determinações do Ministério da Saúde”, sem especificar os setores industriais. O Ministério da Saúde tem dado apenas orientações gerais sobre medidas para evitar a propagação do Covid-19.

Em decreto de março, “indústrias químicas e petroquímicas de matérias-primas ou produtos de saúde, higiene, alimentos e bebidas” já eram listadas no rol de serviços essenciais.

O texto desta quinta também autorizou o funcionamento de atividades de construção civil, também obedecendo determinações do Ministério da Saúde, conforme o presidente havia anunciado mais cedo.

Em entrevista no início da noite na porta do Palácio da Alvorada, Bolsonaro disse que outras atividades serão consideradas essenciais nos próximos dias.

O presidente tem pressionado pela retomada da atividade econômica e criticado o que considera exagero de alguns Estados e municípios que estariam tomando medidas excessivas para conter a propagação do novo coronavírus.

Reportagem de Ricardo Brito; Edição de Alexandre Caverni

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up