May 20, 2020 / 11:12 PM / 3 months ago

Governo não pode submeter população a tratamento sem eficácia real, dizem médicos sobre cloroquina

Funcionário conta drogas de prescrição médica. 12/6/2019. REUTERS/Chris Wattie

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Médicos de todo país reagiram nesta quarta-feira, em uma nota oficial conjunta, à decisão do governo de publicar um novo protocolo para ampliar a recomendação de uso da cloroquina para o tratamento da Covid-19, ressaltando o risco de utilização de um medicamento sem eficácia comprovada contra a doença.

“Em uma situação de emergência global de saúde pública, como a pandemia causada pelo SARS-CoV-2, cabe ao Poder Público garantir o bem-estar da população de forma responsável e embasada em conhecimento produzido pela ciência, e não a submeter ao risco adicional de um tratamento sem garantias de segurança e eficácia sob a chancela de uma política nacional de saúde”, disseram.

O documento é assinado por médicos da Academia Nacional de Medicina, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), da Universidade de São Paulo (USP), da Universidade do Estado do Amazonas e da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), entre outras instituições.

Os especialistas citam diversos estudos que não apontaram eficácia da cloroquina para conter a Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, e ressaltam os possíveis efeitos colaterais da utilização do medicamento, que é recomendado para o tratamento da malária.

“As conclusões dos estudos internacionais, multicêntricos e randomizados ora em curso, com previsão de divulgação para algumas semanas, são as únicas garantias de oferta de tratamentos seguros e eficazes a pacientes com COVID-19. Qualquer tentativa de substituir os resultados dessas pesquisas por análises de estudos observacionais é uma falsa solução, que pode acarretar elevados riscos, incluindo morte, aos pacientes, por efeitos colaterais conhecidos e previsíveis”, disseram.

O Ministério da Saúde apresentou nesta manhã, atendendo ao presidente Jair Bolsonaro, um novo protocolo de uso dos medicamentos cloroquina e hidroxicloroquina desde os sintomas iniciais da Covid-19. Até agora, o uso da cloroquina no Brasil tinha um protocolo do ministério apenas para casos graves. [nL1N2D21BG]

Nesta quarta-feira, o Brasil registrou um novo recorde diário de casos confirmados de coronavírus, com a contabilização de mais 19.951 infecções, o que levou o total no país para 291.579, informou o Ministério da Saúde. Em relação às mortes, foram registrados 888 novos óbitos, fazendo com que a contagem total atinja 18.859.

Por Rodrigo Viga Gaier

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below