for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up
Nacional

Brasil tem novo recorde de mortes em 24 horas por Covid-19 e total supera 20 mil

SÃO PAULO (Reuters) - O Brasil registrou nesta quinta-feira um novo recorde diário de mortes pelo coronavírus, contabilizando mais 1.188 óbitos, o que eleva o total no país para 20.047, informou o Ministério da Saúde.

Paciente com coronavírus é colocada em ambulância por profissionais da saúde em Manaus (AM) 18/05/2020 REUTERS/Bruno Kelly

Em relação à contagem de casos, foram notificadas 18.508 novas infecções, fazendo com que o total chegue a 310.087. O número de casos relatados fica pouco abaixo do recorde para um único dia, de 19.951, registrado na quarta-feira.

A máxima diária anterior para notificações de óbitos era de 19 de maio, quando foram verificadas 1.179 mortes.

A divulgação dos números pelo Ministério da Saúde não indica que as infecções e óbitos tenham necessariamente ocorrido nas últimas 24 horas, mas sim que os registros foram inseridos no sistema no período.

O Brasil segue como o terceiro país do mundo com maior número de casos do vírus, atrás apenas dos Estados Unidos (1.557.727) e da Rússia (317.554), de acordo com contagem da Reuters.

O Ministério da Saúde revelou nesta quinta-feira, em entrevista coletiva diária de suas autoridades, que 62,6% dos municípios brasileiros têm infecções confirmadas.

O momento é visto pelo diretor do Departamento de Análise em Saúde e Vigilância de Doenças Não Transmissíveis da pasta, Eduardo Macário, como o de “maior pressão” em relação ao número de casos.

O ministério segue com comando provisório desde que Nelson Teich pediu demissão, na última sexta-feira --a segunda troca desde o início da pandemia. O general Eduardo Pazuello ocupa interinamente o cargo de ministro.

Até agora, segundo a pasta, foram realizados cerca de 585 mil testes para identificação da Covid-19 no país, com uma média diária de análise de 7 mil exames.

Considerando a contagem de casos por Estados realizada pelo Ministério da Saúde, São Paulo continua sendo o mais afetado pela pandemia, atingindo as marcas de 73.739 casos e 5.558 mortes.

Na sequência dos números vem o Rio de Janeiro, que voltou a ocupar a segunda colocação, com 32.089 casos e 3.412 mortes, seguido pelo Ceará, que possui 31.413 infecções e 2.161 óbitos.

Mais cedo nesta quinta-feira, o presidente Jair Bolsonaro participou de uma reunião virtual com os governadores de todos os Estados, além dos presidentes da Câmara e do Senado, para discussão de medidas relacionadas ao à pandemia.

Após o encontro, que teve tom mais amistoso do que a reunião anterior entre Bolsonaro e os governadores, o presidente --que é a favor da flexibilização das medidas de isolamento-- declarou a apoiadores que o país está “na iminência de abrir com responsabilidade” o comércio.

Na reunião com Bolsonaro, o governador do Estado mais atingido pela crise sanitária, João Doria (PSDB), que é um crítico da forma com que o presidente lida com a pandemia, adotou tom mais ameno e disse que “a existência de uma guerra coloca todos em derrota”.

O Ministério da Saúde indica que o Brasil possui 125.960 pessoas recuperadas da Covid-19 e 164.080 em acompanhamento.

Veja um gráfico de casos pelo mundo: here

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up