for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up
Nacional

SAIBA MAIS-Antes de teste positivo, Bolsonaro minimizou os riscos da Covid-19

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro, que minimizou repetidamente a gravidade do coronavírus e resistiu a medidas para mitigar a disseminação da doença, teve resultado positivo em teste para a Covid-19.

Presidente Jair Bolsonaro no Palácio da Alvorada, em Brasília 13/05/2020 REUTERS/Adriano Machado

Na segunda-feira, o Brasil registrou um total de 1.623.284 casos do coronavírus e 65.487 mortes provocadas pelo vírus.

Veja alguns comentários de Bolsonaro sobre a doença.

9 de março, falando a brasileiros em Miami:

“Tem a questão do coronavírus também, que no meu entender está superdimensionado o poder destruidor desse vírus, então talvez esteja sendo potencializado até por questão econômica.”

24 de março, em discurso televisionado à nação:

“No meu caso particular, pelo meu histórico de atleta, caso fosse contaminado pelo vírus, não precisaria me preocupar, nada sentiria ou seria, quando muito, acometido de uma gripezinha ou resfriadinho.”

26 de março, em live no Facebook:

“O brasileiro tem que ser estudado. A gente vê, às vezes, em certas comunidades, se dá uma chuva o cara fica pulando no rio ali junto com esgoto, etc, e o cara não pega nada, pô. Nem leptospirose ele pega. Pega nada, tá certo? Mas tudo bem. Parece que o brasileiro, realmente, tem o corpo aí blindado nessa questão.”

29 de março, percorrendo as ruas de Brasília sem máscara:

“O vírus está aí, vamos ter que enfrentá-lo. Mas enfrentar como homem, pô! Não como moleque. Vamos enfrentar o vírus com a realidade. É a vida! Todos nós iremos morrer um dia.”

12 de abril, respondendo a líderes religiosos via videoconferência:

“Quarenta dias depois, parece que está começando a ir embora a questão do vírus, mas está chegando e batendo forte o desemprego. Devemos lutar contra essas duas coisas.”

20 de abril, questionado por jornalista sobre a contagem de mortos no Brasil:

“Não sou coveiro, tá?”

28 de abril, questionado por jornalistas sobre o crescimento do número de mortos:

“E daí? Lamento, quer que eu faça o quê? Sou Messias, mas não faço milagre.”

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up