for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up
Nacional

MP de Brasília prende secretário de Saúde em operação contra fraude na compra de testes da Covid-19

Testes rápidos para Covid-19 29/07/2020 REUTERS/Amanda Perobelli

BRASÍLIA (Reuters) - O Ministério Público do Distrito Federal realizou nesta terça-feira operação para desmantelar esquema de superfaturamento na compra de testes para Covid-19 e outros insumos para a área de saúde, o que levou à prisão preventiva e ao afastamento do secretário de Saúde do DF, Francisco Araújo Filho, informaram autoridades.

A operação apura prejuízo milionário, segundo nota do Ministério Público, em duas dispensas de licitação na compra de produtos. Um dos casos sob investigação diz respeito a um teste da Covid-19 adquirido por 125 reais a unidade, enquanto outros órgãos pagaram 18 reais pelo mesmo produto, de acordo com as investigações.

“O prejuízo decorrente do superfaturamento é superior a 18 milhões de reais, valor que permitiria a compra de mais de 900 mil testes rápidos”, informou o MP da capital.

A segunda fase da chamada operação “Falso Negativo”, conforme o MP de Brasília, cumpriu seis mandados de prisão e 44 de busca e apreensão em Brasília e outras 15 cidades de Estados do Centro-Oeste, Nordeste, Sudeste e Sul do país.

Em nota, o governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), disse lamentar a “desnecessária operação” que culminou na prisão preventiva da cúpula da Secretaria de Saúde.

“O secretário de Saúde, Francisco Araújo Filho, e toda a sua equipe sempre estiveram à disposição das autoridades para esclarecer quaisquer fatos, mantendo abertos todos os processos em curso na SES, inclusive com acompanhamento online do Ministério Público pelo Sistema Eletrônico de Informações (SEI), comprovando a inexistência dos crimes a que estão sendo indevidamente acusados”, disse.

O governador do DF anunciou no comunicado que, neste momento, não restava outra atitude a não ser afastar preventivamente os acusados. Segundo ele, o intuito dessa medida é não paralisar os serviços prestados pela secretaria, em especial no momento de pandemia.

“Aguardo rápida apuração e o esclarecimento dos fatos para que pessoas inocentes não tenham seus nomes indelevelmente manchados”, disse.

A ação do MP de Brasília se soma a outras apurações espalhadas pelo país no combate à irregularidades na compra de insumos e outros materiais para o enfrentamento à Covid-19.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up