for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up
Nacional

Bolsonaro repete que ninguém é obrigado a se vacinar; Pazuello diz que vacinação começa em janeiro

02/09/2020 REUTERS/Adriano Machado

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro voltou a dizer nesta terça-feira que não se pode obrigar a tomar vacina e acrescentou que não se pode injetar “qualquer coisa” nas pessoas.

“Não se pode injetar qualquer coisa nas pessoas nem obrigar. A vacina se faz a campanha”, disse o presidente em um evento à tarde sobre o uso de hidroxicloroquina com um grupo de médicos que defendem o medicamento.

Bolsonaro citou ainda as desconfianças que existem sobre a vacina russa contra a Covid-19 e lembrou que foi muito criticado ao dizer para uma apoiadora que ninguém ia obrigar ninguém a tomar vacina.

Pouco antes, em reunião ministerial pela manhã, o ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, disse que a expectativa do governo é poder iniciar a vacinação “de todo mundo” já em janeiro do ano que vem.

“A gente está fazendo os contratos com quem fabrica a vacina e a previsão é que a vacina chegue para nós a partir de janeiro do ano que vem e a gente comece a vacinar todo mundo”, disse Pazuello, em reposta a uma youtuber mirim que Bolsonaro levou para a reunião para fazer perguntas aos ministros.

À tarde, Bolsonaro reclamou ainda estar com “pecha de genocida” por defender a hidroxicloroquina e por não ter feito “outras coisas”, mas voltou a dizer que a decisão do Supremo Tribunal Federal deu poder de decisão aos governadores.

Reportagem de Lisandra Paraguassu

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up