for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up
Nacional

Governo de SP envia à Anvisa documentos para registro de vacina contra Covid-19, diz Doria

SÃO PAULO (Reuters) - O governo do Estado de São Paulo enviou documentos à Agência Nacional de Vigilância Sanitária para o registro da potencial vacina contra Covid-19 desenvolvida pela empresa chinesa Sinovac e que está sendo testada no Brasil em estudo liderado pelo Instituto Butantan, disse nesta sexta-feira o governador do Estado, João Doria (PSDB).

Governador Joao Doria segura caixa com a vacina da Sinovac 21/07/2020 REUTERS/Amanda Perobelli

“O governo do Estado de São Paulo registrou na Anvisa documentação da vacina CoronaVac para a análise da Agência Nacional de Vigilância Sanitária e obtenção do seu registro. A Anvisa recebeu através da plataforma digital, criada para agilizar o procedimento de registro das vacinas, não apenas da CoronaVac”, disse Doria em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

“O objetivo é tornar o mais rápido possível, dentro das normas científicas e do protocolo da Anvisa, o processo de registro da CoronaVac, uma das vacinas mais promissoras na sua última etapa de testagem em todo o mundo”, acrescentou.

Também presente na coletiva, o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, explicou que o envio dos documentos são parte de um novo procedimento adotado pela Anvisa para agilizar a análise de pedidos de registros de vacinas contra a Covid-19 que permite o envio de informações ao órgão regulador conforme elas se tornarem disponíveis, ao contrário do envio de todos os dados somente ao final do processo, como é de praxe.

“Isso tem o objetivo de facilitar a análise dos técnicos da Anvisa e permitir que não haja atrasos nesse processo que é tão importante para todos nós”, disse Covas.

Na quinta-feira, a Anvisa anunciou que recebeu dados da potencial vacina contra a Covid-19 desenvolvida em parceria entre a farmacêutica britânica AstraZeneca e a Universidade de Oxford, no Reino Unido. Na ocasião, o órgão regulador ressaltou que os dados são de testes não clínicos e que ainda não permitem conclusões sobre a eficácia e a segurança da vacina.

Pouco depois das declarações de Doria, a Anvisa informou que recebeu nesta sexta o primeiro pacote de dados referente à vacina da Sinovac para análise.

“A revisão desses dados é possível devido à implantação do procedimento de submissão contínua, que permite verificar os documentos à medida que se tornam disponíveis. Isso não significa, porém, um pedido oficial de registro da vacina”, disse a agência em nota.

Tanto a vacina Oxford/AstraZeneca quanto a CoronaVac estão sendo testadas em voluntários no Brasil.

No caso da CoronaVac, a expectativa do Butantan é de que os primeiros resultados preliminares dos testes estejam disponíveis a partir de 15 de outubro.

Doria tem dito que espera iniciar a vacinação da população de São Paulo com o imunizante da Sinovac na segunda quinzena de dezembro, desde que ele tenha sido aprovado pela Anvisa.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up