February 20, 2018 / 4:37 PM / 2 months ago

Temer fala em avanços obtidos nos últimos tempos, um dia depois de governo desistir da reforma da Previdência

Por Rodrigo Viga Gaier

Presidente Michel Temer durante cerimônia em Itaguaí (RJ) 20/02/2018 REUTERS/Ricardo Moraes

ITAGUAÍ, Rio de Janeiro (Reuters) - O presidente Michel Temer disse nesta terça-feira que o Brasil obteve avanços importantes nos últimos tempos em relação ao progresso desejado pelo país, um dia depois de o governo assumir definitivamente que a reforma da Previdência não será votada agora, como desejava o Planalto.

Temer participou de solenidade na cidade de Itaguaí, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, que marcou o início do processo de montagem de um dos cinco submarinos que fazem parte do programa ProSub, firmado no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o governo da França. O programa prevê ainda a construção de um submarino de propulsão nuclear em parceria com os franceses.

Para Temer, o programa é uma conquista para a sociedade brasileira e resultado de um trabalho de décadas.

“O programa renova nossa confiança no Rio de Janeiro e no Brasil”, disse o presidente na solenidade.

“Não foram poucos os avanços obtidos nos últimos tempos em termos de progresso para nosso país e em termos de ordem que nós estamos procurando”, acrescentou.

Na véspera, o governo disse que não poderá votar a reforma da Previdência agora, com a justificativa oficial de que a intervenção federal decretada na sexta-feira na segurança pública do Estado do Rio de Janeiro impedia a votação, já que a Constituição não pode ser emendada nessas situações. [nL2N1QA098]

Mas o próprio articulador político do governo, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, admitiu que não tinha como garantir que até o final deste mês —prazo que o Planalto considerava limite para sua votação em primeiro turno— a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Previdência teria o apoio mínimo necessário de 308 dos 513 deputados. [nE6N1PA00T] [nL2N1Q90XH]

SUBMARINO ATRASADO

O submarino de propulsão nuclear, o primeiro do Brasil, está atrasado em cerca de dois anos por conta de contigenciamentos orçamentários e, segundo a Marinha, deve ficar pronto em 2029. O primeiro submarino do programa, o Riachuelo, deve ficar pronto ainda este ano. Todo o programa já consumiu desde 2009 cerca de 16,3 bilhões de reais.

O projeto já foi alvo da operação Lava Jato e a construtora Odebrecht, contratada para obras civis do projeto, foi acusada de desviar recursos para políticos investigados.

“Desde que a Marinha assumiu o projeto fomos alvos de consultorias, prestamos contas inclusive ao TCU e nada de errado aconteceu”, disse a jornalistas o comandante da Marinha, Eduardo Leal Ferreira.

“A partir do momento que a Marinha conduziu o projeto nada foi detectado pela Marinha e por órgãos externos. A execução do projeto pela Marinha é monitorado por FGV, TCU e auditorias... falo isso com tranquilidade e há mais preconceito do que realidade”, acrescentou.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below