October 4, 2018 / 10:01 PM / 2 months ago

Agressor de Bolsonaro vira réu com base na Lei de Segurança Nacional

Adélio Bispo de Oliveira, no aeroporto de Juiz de Fora, Brazil 8/9/2018 REUTERS/Ricardo Moraes

SÃO PAULO (Reuters) - Adélio Bispo de Oliveira, o homem que deu uma facada no candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, durante evento de campanha em Juiz de Fora (MG) no início de setembro, tornou-se réu nesta quinta-feira, com base na Lei de Segurança Nacional.

O juiz federal Bruno Savino aceitou denúncia feita pelo Ministério Público Federal de Minas Gerais e concordou que existem indícios de que Adélio cometeu o crime por divergências políticas que tem com Bolsonaro.

“Existem, portanto, fortes indícios acerca da natureza política do ato criminoso, tendo o investigado praticado a conduta por inconformismo em relação ao discurso e às ideias defendidas pelo candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro”, escreveu Savino ao aceitar a denúncia.

“Assim, ao praticar atentado pessoal, desferindo uma facada em parte vital do corpo, o investigado teria exteriorizado a intenção de eliminar fisicamente do processo eleitoral candidato que liderava (e ainda lidera) as pesquisas de intenção de voto para o cargo de presidente da República e que defende ideologia política diametralmente oposta à sua”, acrescentou.

O juiz também entendeu que o ataque contra Bolsonaro gerou danos ao sistema democrático e desequilíbrios na disputa pelo Palácio do Planalto.

“Por sua vez, houve grave e inegável lesão ao regime democrático, à medida que, com essa conduta, o investigado teria buscado impedir que milhões de eleitores, alinhados com o pensamento político da vitima, exercessem o direito ao sufrágio como bem entendessem, sendo certo que, no Estado democrático, a manifestação da vontade do povo na escolha dos governantes deve ser assegurada, no interesse político da noção”, escreveu.

“Não há dúvidas de que o atentado pessoal do qual o candidato Jair Messias Bolsonaro foi vítima efetivamente provocou irreparável desequilíbrio no processo eleitoral democrático brasileiro, não somente por afastar das campanhas de rua e debates eleitorais o candidato líder em pesquisas de intenção de voto, o que exigiu tanto da vítima quanto de seus concorrentes a reformulação de estratégias de campanha.”

Adélio foi preso em flagrante após desferir a facada em Bolsonaro. O ataque causou ferimentos numa veia abdominal e nos intestinos grosso e delgado de Bolsonaro, que teve de passar por duas cirurgias de emergência e ficou 23 dias hospitalizado.

Bolsonaro lidera as intenções de voto para a eleição de domingo e, desde o ataque, não tem participado de eventos de campanha nas ruas e nem de debates entre presidenciáveis.

Reportagem de Eduardo Simões

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below