for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up
Nacional

Renan desiste de eleição no Senado após filho de Bolsonaro revelar voto no adversário

BRASÍLIA (Reuters) - O senador Renan Calheiros (MDB-AL) decidiu no fim da tarde deste sábado renunciar à candidatura a presidente do Senado logo após o filho do presidente Jair Bolsonaro, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), ter revelado o seu voto no principal adversário do alagoano, o demista Davi Alcolumbre (AP).

“Flávio Bolsonaro acabou, diferentemente do que fez na votação anterior, abriu o voto, seu presidente! Este processo não é democrático”, disse Renan, sob vaias.

“Esse Davi não é um Davi, é um Golias”, continuou o alagoano que abdicou de concorrer ao cargo, que ele poderia assumir pela quinta vez.

A decisão de Renan --desgastado por denúncias e investigações-- torna favorita a candidatura de Davi Alcolumbre, patrocinada pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

Mesmo com a renúncia de Renan, os senadores prosseguem com a segunda votação.

A votação secreta anterior foi anulada por consenso de senadores após na hora da apuração ter sido constatado que havia 82 cédulas para 81 senadores.

Em entrevista depois, Renan afirmou que a segunda votação deveria reproduzir o que ocorreu na primeira. Contudo, ele disse ter havido na segunda etapa uma exigência para que os senadores do PSDB abrissem os votos, o que, avaliou, inibiu a possibilidade de quatro votos na bancada serem para ele.

Ele afirmou que isso também ocorreu com Flávio Bolsonaro.

“Ou seja, escancarou que estão passando sobre o Congresso Nacional com um peso enorme, e isso não pode acontecer, a democracia não aguenta isso”, declarou.

Por Ricardo Brito

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up