April 23, 2019 / 12:39 PM / 4 months ago

Carlos Bolsonaro usa redes sociais para atacar Mourão

BRASÍLIA (Reuters) - Filho do presidente Jair Bolsonaro, o vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro fez ataques diretos em suas redes sociais ao vice-presidente da República, Hamilton Mourão, em mais um capítulo da disputa interna no governo entre as alas militares e os chamados olavistas, ligados ao escritor Olavo de Carvalho.

Vereador Carlos Bolsonaro no Palácio do Planalto 16/01/2019 REUTERS/Ueslei Marcelino

Na noite de segunda-feira, depois de Mourão responder as críticas de Carvalho aos militares no governo, Carlos repostou em suas contas no Twitter e Instagram, um post da jornalista Raquel Sherazade em que ela criticava Bolsonaro e elogiava Mourão. O vice-presidente curtiu o post.

“Tirem suas próprias conclusões. E tem muito mais... não se atente no que a pessoa diz, mas em quem curtiu”, escreveu Carlos.

Em seguida, um de seus seguidores chamou a atenção de Carlos para o convite de uma palestra que Mourão fez no instituto Wilson Center, um think thank de políticas públicas norte-americano. O texto, uma apresentação da apresentação, diz que os primeiros 100 dias foram marcados pela paralisia do governo Bolsonaro devido a “sucessivas crises geradas pelo próprio círculo interno do presidente”. Acrescenta, ainda, que Mourão vem surgindo como uma “voz moderada” no governo.

“Se não visse não acreditaria que aceitou (o convite) com tais termos”, escreveu Carlos. “Ainda está muito mais. Este jogo está muito claro.”

Em um dos posts, quando um seguidor pergunta se Mourão está contra o presidente, Carlos responde: “será ou com certeza?”

Entre seus seguidores, cresce o número dos que acusam o vice-presidente de traidor. No entanto, Carlos também foi bastante criticado por fomentar crises no governo.

O filho do presidente é o responsável por gerenciar as redes sociais de Bolsonaro e, apesar de não ter cargo, é um dos olavistas mais influentes no governo. Na segunda, depois de Mourão reagir às críticas do escritor aos militares dizendo que ele deveria se restringir à atividade de astrólogo, Carlos saiu em defesa de Olavo de Carvalho.

Em um tuíte, afirmou que Olavo de Carvalho “é uma gigantesca referência do que vem acontecendo há tempos no Brasil” que “desprezar isso só tem três motivos: total desconhecimento, se lixando para os reais problemas do Brasil ou acha que o mundo gira em torno de seu umbigo por motivos que prefiro que reflitam”.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho mais novo do presidente, outro seguidor de Carvalho, retuitou o post.

Na noite de segunda, através do porta-voz, Otávio do Rêgo Barros, Bolsonaro respondeu pela primeira vez às críticas do escritor. Em meio a elogios a Carvalho e suas “boas intenções”, disse que suas declarações não contribuem para a “unicidade de esforços” e para o projeto do governo.

Na manhã desta terça, antes da reunião ministerial, Bolsonaro reuniu os ministros e o vice-presidente para uma cerimônia de troca da bandeira em frente ao Palácio da Alvorada. Mourão aparentava um certo incômodo ao participar do evento ao lado do presidente. Enquanto Bolsonaro brincava com os ministros, o vice não sorriu e se manteve olhando para frente.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below