April 25, 2019 / 7:59 PM / 6 months ago

Argentina fez reforma da Previdência "meia-boca" e Macri está com problema agora, diz Bolsonaro

Presidentes da Argentina, Mauricio Macri, e Jair Bolsonaro se reúnem em Brasília 16/01/2019 REUTERS/Ueslei Marcelino

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro admitiu na tarde desta quinta-feira que a reforma da Previdência vai passar por mudanças no Congresso, mas disse esperar que a “desidratação” não comprometa o impacto fiscal da proposta, e citou o exemplo da Argentina que, segundo ele, fez uma reforma “meia-boca” e agora está com problemas.

Na terceira fala no dia sobre o impacto fiscal da reforma, Bolsonaro se esquivou e não quis explicar o piso de 800 bilhões de reais de economia em dez anos com a aprovação da proposta que havia dito anteriormente.

“Eu gostaria que a nossa proposta saísse na ponta da linha como entrou, mas nós sabemos, até pela minha experiência de sete legislaturas, que haverá mudanças. Agora não existe um dado mínimo, o Paulo Guedes fala em torno de 1,1 trilhão (de reais de economia)”, disse.

“A gente espera que, em havendo qualquer desidratação, não seja um número que comprometa a reforma. A Argentina fez uma reforma, no linguajar popular, meia-boca e o Macri está tendo problema agora”, completou ele, em entrevista no Ministério da Educação, referindo-se ao presidente argentino, Mauricio Macri.

Nesta quinta-feira pela manhã, o Ministério da Economia informou que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Previdência prevê uma economia total de 1,237 trilhão de reais em dez anos, ante o valor de 1,072 trilhão de reais que foi anunciado na apresentação da proposta, em fevereiro. [nL1N2270XW]

Guedes tem repetido que, se a economia não for de pelo menos 1 trilhão de reais, ela não será robusta o suficiente para o lançamento de um sistema de capitalização.

Embora o montante citado por Bolsonaro esteja abaixo do que o ministro da Economia vem defendendo publicamente, uma fonte parlamentar que participa ativamente das negociações argumentou que “se for 800 bilhões de reais já é mais do que a gente estava discutindo no melhor momento da reforma do ex-presidente Michel Temer”.

Reportagem de Ricardo Brito

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below