May 24, 2019 / 6:13 PM / 3 months ago

Bolsonaro diz que nenhum ministro é obrigado a permanecer no governo

Ministro da Economia, Paulo Guedes, e presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto 20/05/2019 REUTERS/Adriano Machado

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira que nenhum de seus ministros é obrigado a permanecer no cargo, após o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmar em entrevista que deixará a pasta se a proposta de reforma da Previdência for desidratada pelo Congresso.

O presidente, ao mesmo tempo, fez uma defesa da necessidade da reforma previdenciária e disse concordar com Guedes que o país viverá um caos econômico se não for aprovado um texto muito próximo ao que o governo enviou ao Congresso.

“Ninguém é obrigado a continuar como ministro meu. Logicamente, ele está vendo como uma catástrofe, e é verdade, eu concordo com ele, se nós não aprovarmos uma reforma muito próxima da que enviamos para o Parlamento. Então o que Paulo Guedes vê — ele não é nenhum vidente, mas não precisa ser, para entender que o Brasil entra num caos econômico sem essa reforma”, disse o presidente a jornalistas no Recife.

Em entrevista à revista Veja, Guedes disse que renunciará ao cargo se o Congresso aprovar uma “reforminha”, alertando que o Brasil pode quebrar já em 2020.

Mais cedo nesta sexta-feira, Bolsonaro pediu apoio dos governadores de Estados do Nordeste à reforma, apontada como crucial para reequilibrar as contas públicas e retomar o crescimento da economia.

Por Eduardo Simões

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below