August 1, 2019 / 8:47 PM / 3 months ago

Bolsonaro altera comissão sobre mortos e desaparecidos e justifica mudanças por ser de direita

(Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro e a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, assinaram decreto publicado nesta quinta-feira que substitui quatro dos sete membros da Comissão sobre Mortos e Desaparecidos Políticos, colegiado que trata sobre período que engloba a ditadura militar do Brasil.

01/08/2019 REUTERS/Adriano Machado

Ao ser questionado sobre as trocas dos integrantes, Bolsonaro disse que o motivo foi a mudança de presidente.

“Agora é Jair Bolsonaro, de direita, ponto final. Quando eles botavam terrorista lá, ninguém falava nada. Agora mudou o presidente”, disse a jornalistas nesta manhã.

A mudança promovida por Bolsonaro ocorre após o colegiado declarar que a morte de Fernando Santa Cruz Oliveira, pai do atual presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, e desaparecido durante a ditadura militar na década de 1970, foi causada pelo Estado brasileiro.

No início desta semana, Bolsonaro declarou publicamente que poderia dizer a Santa Cruz como se deu a morte de seu pai, o que levou o advogado a interpelar o presidente da República no Supremo Tribunal Federal para esclarecer se efetivamente tem as informações que diz ter.

O comentário de Bolsonaro foi mais um na série de recentes declarações polêmicas vistas por analistas ouvidos pela Reuters como uma mistura da personalidade do presidente com a busca em pautar o debate político. [nL2N24W21W]

A presidente da comissão, procuradora Eugênia Augusta Gonzaga Fávero, foi exonerada e será substituída por Marco Vinicius Pereira de Carvalho, assessor especial de Damares e filiado ao PSL, partido de Bolsonaro.

Rosa Maria Cardoso da Cunha, advogada e professora universitária, será substituída por Weslei Antônio Maretti, coronel da reserva do Exército.

O deputado federal Filipe Barros (PSL-PR) ocupará a vaga do deputado petista Paulo Pimenta (RS). Por fim, o militar da reserva e ex-deputado federal João Batista da Silva Fagundes será substituído por Vital Lima Santos, oficial do Exército e assessor no Ministério da Defesa.

A Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos, que está abarcada atualmente dentro do Ministério da Mulher, da Família e Direitos Humanos, foi criada em 1995 e tem, entre seus objetivos, reconhecer pessoas mortas ou desaparecidas durante do período da ditadura militar.

Por Laís Martins, em São Paulo; Edição de Alexandre Caverni

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below