August 27, 2019 / 8:52 PM / in 3 months

Moro defende chefe da PF e admite "alguns" revezes no combate à corrupção

Ministro Sergio Moro 02/07/2019 REUTERS/Adriano Machado

BRASÍLIA (Reuters) - Em um momento em que teve sua “carta branca” de nomear sua equipe contestada pelo presidente Jair Bolsonaro, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, defendeu nesta quarta-feira o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, disse que o presidente tem compromisso com o combate à corrupção e que o governo tem avançado nessa área, mas admitiu que há “alguns revezes”.

“O presidente Jair Bolsonaro tem um compromisso com a prevenção e o combate à corrupção. Esse foi um dos temas centrais que me levaram a aceitar esse convite. Eu creio que o governo tenha avançado nessa área. Claro que, às vezes, há alguns reveses. Mas nós temos avançado no enfrentamento da corrupção”, disse Moro, na abertura do seminário Métodos de Combate à Corrupção, organizado pela PF e realizado no edifício sede do Ministério da Justiça.

Em sua fala, Moro —que ficou mundialmente conhecido por sua atuação como juiz da operação Lava Jato— não especificou quais revezes estaria passando. Ele aproveitou o ocasião para fazer um “cumprimento especial” ao diretor-geral Maurício Valeixo, que disse estar fazendo um “trabalho extraordinário” à frente da PF.

Na semana passada, Bolsonaro chegou a dizer que, se não podia trocar o superintendente da corporação no Rio de Janeiro, podia trocar o diretor-geral.

Por Ricardo Brito

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below