April 9, 2020 / 11:51 PM / 4 months ago

Sistema de saúde do Amazonas entra em colapso com pandemia de coronavírus

MANAUS (Reuters) - Autoridades de Saúde do Estado do Amazonas pediram nesta quinta-feira para que a população não saia de casa, enquanto o sistema enfrenta um possível colapso após um pico nos casos do novo coronavírus que ocupou todos os ventiladores mecânicos e leitos em unidades de tratamento intensivo na região.

Pessoas observam peixes durante feira em Manaus, durante a pandemia de coronavirus. 4/4/2020. REUTERS/Bruno Kelly

Os casos confirmados do vírus chegaram a 899 no Estado, sendo 800 na capital Manaus, única cidade com unidades de tratamento intensivo no Amazonas.

A diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde  (FVS-AM), Rosemary Pinto, disse que as pessoas não estão prestando atenção às orientações de distanciamento social e quarentena, que tem o objetivo de impedir o funcionamento de todas as atividades e serviços não essenciais.

“Ainda tem muita gente nas ruas”, disse a jornalistas. 

Ela deu como exemplo famílias que colocam cadeiras na rua em frente às suas casas e fazem reuniões, e as filas de pessoas aglomeradas nos bancos incluindo as com mais de 60 anos, que fazem parte do grupo de risco.

“Recomendamos que cada pessoa tenha a sua máscara, feita em casa mesmo. Devemos deixar a máscara cirúrgica e a N95 para os profissionais de saúde. Vemos ainda muita gente andando desprotegida, circulando em vários locais”.

O Ministério da Saúde reportou 141 mortes no país por causa do coronavírus nesta quinta-feira, recorde diário, elevando o número total de mortos para 941, sendo mais da metade no Estado de São Paulo.

No Amazonas, as mortes chegaram a 40 nesta quinta-feira, com os casos confirmados dobrando a cada 48 horas e chegando a 899, superando São Paulo como em número de casos para cada 100 mil habitantes.

A crise sobrecarregou os hospitais em Manaus e levou o governador a substituir o secretário de Saúde na quarta-feira.

“Os casos estão concentrados em Manaus, mas quando começar a crescer no interior vai ser catastrófico, e se chegar nas comunidades indígenas  será muito pior”, afirmou o deputado federal amazonense Marcelo Ramos (PL) à Reuters por telefone. 

Autoridades de saúde e antropólogos alertaram para o perigo da pandemia dizimar a população de cerca de 850 mil indígenas brasileiros, muitos dos quais não têm imunidade a doenças externas e vivem em residências compartilhadas, onde o distanciamento social é inviável.

Até agora, a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) reportou apenas 6 casos de coronavírus entre indígenas.

Quatro deles na região ao norte do Rio Amazonas, entre o Peru e a Colômbia, um caso em Manaus e o caso de um jovem ianomami de 14 anos reportado em Roraima. Ele está numa unidade de tratamento intensivo, estável, em Boa Vista.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below