April 13, 2020 / 4:42 PM / 4 months ago

Doria comemora isolamento de 59% em SP e decide não endurecer medidas

Pessoas se exercitam em praça de São Paulo 09/04/2020 REUTERS/Rahel Patrasso

SÃO PAULO (Reuters) - Depois de ameaçar endurecer medidas de restrição à circulação de pessoas no Estado de São Paulo caso o isolamento social não superasse os 60%, o governador João Doria (PSDB) comemorou nesta segunda-feira a adesão de 59% atingida no domingo, e disse que não tem intenção de restringir os direitos dos cidadãos.

“O esforço que fizemos no final da última semana do governo do Estado de São Paulo e das prefeituras que compõem os 645 municípios do Estado de São Paulo deu certo. Subimos de 47% para 59% o isolamento social”, disse o governador.

“Quero agradecer mais uma vez o gesto dos brasileiros de São Paulo que atenderam àquela convocação que fizemos na quinta-feira da semana passada para que nós pudéssemos melhorar esse índice, não tendo que tomar atitudes mais duras, como não temos que adotar porque a resposta foi positiva. Esse foi o nosso compromisso e estamos cumprindo”, disse.

Doria havia alertado que poderia adotar medidas mais rigorosas de restrição à circulação —incluindo a prisão de pessoas que desrespeitassem o distanciamento social— caso o nível de adesão ao isolamento social no Estado não chegasse ao patamar de 60%, o que não aconteceu, de acordo dados do sistema de monitoramento do governo paulista feito por meio dos dados das operadoras de telefonia móvel anunciados por Doria.

Segundo o governo estadual, o índice de adesão ao isolamento necessário para dar tempo para o sistema de saúde se preparar para a pandemia é de 70%.

O ministro da Advocacia-Geral da União (AGU), André Mendonça, já havia avisado que o órgão irá ao Judiciário contra governadores que adotarem “medidas restritivas de direitos fundamentais dos cidadãos”.

Na entrevista coletiva desta segunda, Doria não quis comentar a nota divulgada pela AGU, argumentando que não foram tomadas medidas e que o texto tratava de expectativas.

“Sobre a AGU, eu prefiro não comentar, porque não houve nenhuma medida. O fato de haver expectativa, expectativas eu não comento. Comento sobre fatos reais, efetivos”, disse Doria.

Doria tem entrado em atrito constante com o presidente Jair Bolsonaro por causa das medidas de restrição à circulação para conter o avanço do coronavírus, que tem 8.755 casos confirmados no Estado, com 588 mortes. No Brasil, o número de casos confirmados é de 22.169, com 1.223 mortes.

Por Eduardo Simões

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below