13 de Fevereiro de 2013 / às 18:34 / em 5 anos

Compras chinesas de açúcar superam expectativas em janeiro--mercado

Por David Brough

Um funcionário corta cana de açúcar no moinho de São Martinho em Pradópolis, a noroeste de São Paulo. As compras chinesas de açúcar bruto superaram as expectativas no mês passado, enquanto a Rússia tem comprado constantemente antes da esperada alta em suas taxas de importação em maio. 6/08/2007 REUTERS/Rickey Rogers

LONDRES, 13 Fev (Reuters) - As compras chinesas de açúcar bruto superaram as expectativas no mês passado, enquanto a Rússia tem comprado constantemente antes da esperada alta em suas taxas de importação em maio.

Dois traders estimaram que a China havia comprado cerca de 250 mil toneladas de açúcar bruto no mês passado, ultrapassando expectativas após uma forte rodada de estocagem no ano passado.

Operadores falaram sobre compras chinesas da commodity do Brasil e Guatemala.

A China está armazenando um volume cada vez maior de açúcar que não quer ou precisa por conta dos inflacionados preços domésticos, concebidos para proteger os agricultores que enfrentam alguns dos custos mais altos do mundo de produção, que atraem importações dos mercados globais transbordando de suprimentos.

“Quando o mercado da ICE recua para cerca de 18 centavos por libra peso, você pode justificar o pagamento das tarifas para importar para a China”, disse um operador sênior.

“É um dos fatores que mais apoia o mercado. A grande questão é o quão longe isso ainda vai continuar.”

Outro trader disse que “os chineses não precisam realmente importar”.

Toby Cohen, diretor de commodities da Czarnikow, disse que esperava elevar sua previsão para as importações chinesas de açúcar bruto em 2013.

“Parece que os chineses vão comprar muito mais do que o previsto originalmente”, disse Cohen, sem dar mais explicações.

Cohen havia estimado há diversos meses que a China importaria cerca de 1,5 milhão de toneladas em 2013.

Um trader falou de uma grande fila de navios nos portos de açúcar do Brasil neste mês, sinalizando uma grande volume de negociações para este ano por conta de benefícios de preços baratos do produto e do frete.

A negociação global de açúcar, em termos de volume, atingiu uma máxima de todos os tempos de 30,5 milhões de toneladas em 2012, de acordo com a Czarnikow.

O contrato referência do açúcar negociado na bolsa de Nova York (ICE) caiu para 18,03 centavos na sexta-feira, menor nível desde agosto de 2010, pressionado por um enorme excesso de oferta mundial após uma finalização forte da colheita 2012/13 de cana no centro-sul brasileiro.

O primeiro mês para o açúcar bruto na ICE subia 0,17 centavo de dólar, para 18,25 centavos por libra-peso às 16h25 desta quarta-feira.

Traders falaram sobre fluxos constantes de açúcar brasileiro para os mercados do Sudeste Asiático, concorrendo com origens regionais, tais como a Tailândia.

“O açúcar brasileiro pode ser bastante competitivo naquela geografia”, disse uma fonte sênior do trade.

Os prêmios tailandeses com entrega para março foram cotados a cerca de 100 pontos acima do contrato março dos futuros na ICE. Os prêmios do centro-sul brasileiro com entrega para março foram cotados a 15 pontos. Os custos de frete do Brasil para destinos do Sudeste Asiático ficaram em cerca de 38 a 40 dólares por tonelada.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below