11 de Agosto de 2008 / às 14:53 / em 9 anos

Show em Nova York marca despedida do Police

Por Claudia Parsons

NOVA YORK (Reuters) - O trio britânico The Police fez na quinta-feira seu show de despedida e, fazendo jus ao nome, foi acompanhado pela banda da polícia de Nova York.

O vocalista e baixista Sting, o baterista Stewart Copeland e o guitarrista Andy Summers se reencontraram em maio para uma turnê mundial, e desde então fizeram 150 shows para 3,7 milhões de pessoas, contou Sting à platéia do Madison Square Guarden.

“O verdadeiro triunfo desta turnê é que não nos estrangulamos mutuamente. Isso não quer dizer que não tenha passado pela minha cabeça, ou de Stewart, ou de Andy.”

Houve alguns toques surreais no último concerto da banda que se revelou a partir do final da década de 1970 com hits como “Walking on the Moon” e “Every Breath You Take”.

Sting fez uma pausa excepcionalmente longa antes do primeiro bis -- ficou numa cadeira de barbeiro no camarim enquanto duas loiras tiravam sua barba grisalha, um sinal da passagem das décadas.

Fashionistas criticaram essa barba nos últimos dias, mas o ex-professor que virou astro pop declarou à imprensa que “as mulheres adoram”.

O seu barbear foi transmitido por um telão no palco, enquanto os fãs aplaudiam e pediam mais música. Com cara e disposição de menino, ele então voltou sem camisa ao palco para tocar “Roxanne” e “So Lonely”.

O show começou com “Sunshine of Your Love”, da banda Cream, e em seguida cerca de 20 músicos da banda da polícia nova-iorquina acompanharam o Police em “Message in a Bottle”.

Mais tarde, três moças pularam no palco e ficaram brincando, dançando e tirando fotos, enquanto a banda tocava “Every Little Thing She Does Is Magic”. Não eram fãs comuns, como pareciam. “São minhas filhas”, revelou Sting.

A banda não deixou nenhum de seus hits de fora, e também ofereceu alguns covers. Ainda houve um segundo bis, breve, e o show terminou com “Next to You”.

A turnê de despedida do Police arrecadou mais de 350 milhões de dólares e foi a mais disputada de 2007.

A banda misturou o punk com levadas do reggae e arranjos sofisticados, tornando-se um sucesso mundial até a separação, em 1984. Sting manteve uma bem-sucedida carreira solo, enquanto Copeland e Summers gravaram e compuseram para filmes.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below