17 de Abril de 2008 / às 19:06 / em 10 anos

ENTREVISTA-Kate Beckinsale volta a fazer drama em "Snow Angels"

Por Bob Tourtellote

<p>Kate Beckinsale volta a fazer drama em 'Snow Angels'. Kate Beckinsale em imagem de arquivo. A inglesa j&aacute; fez diversos tipos de pap&eacute;is desde que come&ccedil;ou na TV brit&acirc;nica, nos anos 1990. J&aacute; protagonizou &eacute;picos como 'Pearl Harbor' e filmes de or&ccedil;amento menor como 'Snow Angels'. 27 de fevereiro. Photo by Mario Anzuoni</p>

LOS ANGELES (Reuters) - Kate Beckinsale já fez diversos tipos de papéis desde que começou na TV britânica, nos anos 1990. Já protagonizou épicos como “Pearl Harbor” e filmes de orçamento menor como “Snow Angels”.

“Snow Angels” está chegando aos cinemas agora, nos Estados Unidos, mais de um ano depois de fazer sua estréia no Festival Sundance.

O filme, em que Beckinsale é uma mãe solteira e cheia de problemas chamada Annie, marcou o retorno da atriz aos dramas.

Beckinsale, 34 anos, conversou com a Reuters sobre o filme, sua carreira e a maternidade.

PERGUNTA: Por que este papel em especial, num filme independente pequeno, depois de atuar recentemente em filmes maiores de Hollywood?

RESPOSTA: Foi um papel trágico e diferente, mas não melodramático. David (Gordon Green, o roteirista e diretor) presta atenção ao absurdo da vida mesmo numa situação muito pesada, e acho que isso é algo que não se vê com frequência. E a jornada de Annie é tão realista, mas tão intensa.

P: Parece que você gosta de fazer papéis muito diferentes, em lugar de representar o mesmo personagem em filmes diferentes.

R: Procurei fazer isso desde o início. Comecei com Shakespeare e filmes britânicos, e as pessoas pensavam “ela é inglesa, não poderá fazer uma americana”. Então fiz “Os Últimos Embalos da Disco” e “A Viagem”. Depois fiz “Pearl Harbor”, e disseram “ela faz filmes de época. Ela é muito frágil. Não dá para imaginá-la sendo durona”. Então fiz “Anjos da Noite -- Underworld”. E disseram: “Ela é superdurona!”.

É irritante. Parece que as pessoas têm memória curta. Ao mesmo tempo, isso mantém você desperta, sendo desafiada.

P: Como você acha que mudou como atriz, com a passagem dos anos e desses papéis diversos?

R: A maior mudança foi fazer “Underworld”, porque foi tão totalmente o oposto do que eu tinha feito até então. Aquilo me deixou um pouco mais aberta a todas as possibilidades. E acho que me levou a querer fazer as escolhas mais ousadas possíveis.

P: A última vez em que conversamos foi em 2001, por causa de “Pearl Harbor”. Você poderia ter feito o papel de Annie, de “Snow Angels”, naquela época? Pergunto porque é um personagem tão complexo.

R: Emocionalmente, acho que sim. Senti como se minha pele tivesse sido arrancada assim que tive uma filha (Beckinsale teve uma filha, Lily, em 1999). Passei a ser sensível a tudo. Para um ator, isso é ótimo.

P: Sendo mãe, e em vista das coisas pelas quais Annie passa, qual foi o impacto disso quando você voltou para casa?

R: Fiquei feliz por meu marido e minha filha estarem ali, por eu poder deixar o filme para trás, voltar para casa e ter todo o mundo ali na minha vida.

P: Você parece gostar de trabalhar, já que trabalha muito.

R: É espantoso que às vezes você é paga para fazer algo que sente que teria que fazer de qualquer maneira...Eu me sinto melhor quando estou trabalhando.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below