14 de Novembro de 2007 / às 11:03 / em 10 anos

Primeiro médico a socorrer Diana achou que ela ia sobreviver

Por Paul Majendie

LONDRES (Reuters) - O primeiro médico a chegar ao local do acidente com o carro da princesa Diana, em Paris, achou que ela ia sobreviver, pois não tinha idéia da gravidade de suas lesões internas.

Frederic Mailliez, que já trabalhara como médico de emergência dos bombeiros, passava pelo túnel na noite de 31 de agosto de 1997, logo depois de o carro onde Diana estava ter batido numa coluna.

Mailliez parou e correu para ver se podia ajudar alguém, contou ele no inquérito judicial que está sendo realizado em Londres sobre a morte de Diana e do namorado dela, Dodi al-Fayed.

O médico afirmou na terça-feira que viu que Al Fayed e Henri Paul, o motorista, estavam mortos. Em seguida, virou-se para o segurança Trevor Rees. “Era óbvio que ele estava vivo porque estava gritando”, disse ele à corte de Londres, por videoconferência desde Paris.

Então ele viu Diana caída no banco traseiro do Mercedes. “Ela estava viva, estava gemendo, mas estava muito fraca”, disse Mailliez, que não reconheceu a princesa e só soube no dia seguinte quem ela era.

“Não me lembro de nenhum ferimento grave na testa dela. Só me lembro de umas poucas gotas de sangue.”

Richard Keen, advogado que representa a família de Paul, perguntou a Mailliez: “Você se lembra de ter dito ... que achava que a moça que tratara ia sobreviver?”

“Sim, eu disse isso”, disse Mailliez ao advogado. Mas ele não sabia qual era a extensão de suas lesões internas. “Não tinha como fazer um diagnóstico preciso”, explicou ele ao tribunal.

O médico disse que percebeu que os fotógrafos estavam tirando fotos da cena do acidente enquanto ele socorria Diana, mas afirmou que eles não atrapalharam.

O inquérito judicial deve levar seis meses para ser concluído. Investigações policiais realizadas tanto na Grã-Bretanha quanto na França concluíram que Dodi e Diana morreram porque o motorista estava bêbado e dirigia rápido demais.

O pai de Dodi, Mohamed al-Fayed, dono da loja de departamentos Harrods, afirma que Diana e seu filho foram mortos pelo serviço de segurança britânico, a mando do príncipe Philip, marido da rainha Elizabeth e ex-sogro de Diana.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below