12 de Fevereiro de 2008 / às 12:01 / 10 anos atrás

Obras de Monet, Degas e Cézanne são roubadas de museu na Suíça

Por Katie Reid

<p>Imagem de divulga&ccedil;&atilde;o mostra a obra 'O Conde Lepic e Suas Meninas' do artista franc&ecirc;s Degas em Zurique. Pinturas a &oacute;leo de C&eacute;zanne, Degas, Van Gogh e Monet, avaliadas em 164 milh&otilde;es de d&oacute;lares, foram roubadas no domingo de um museu de Zurique por ladr&otilde;es armados e mascarados, em plena luz do dia, afirmou a pol&iacute;cia su&iacute;&ccedil;a na segunda-feira. Photo by Reuters (Handout)</p>

ZURIQUE, Suíça (Reuters) - Pinturas a óleo de Cézanne, Degas, Van Gogh e Monet, avaliadas em 164 milhões de dólares, foram roubadas no domingo de um museu de Zurique por ladrões armados e mascarados, em plena luz do dia, afirmou a polícia suíça na segunda-feira.

É o maior roubo de obras de arte que já aconteceu no país, e a segunda ação do tipo ocorrida na região em um período de alguns dias.

As obras foram roubadas da Coleção Buehrle, em Zurique, maior cidade da Suíça e centro financeiro do país.

A ação aconteceu depois do roubo de dois quadros de Picasso -- “Tête de Cheval”, de 1962, e “Verre et Pichet”, de 1944 --, de um centro cultural localizado na mesma região, na semana passada.

A polícia da Suíça se recusou a dizer se os dois roubos tinham conexão. Afirmou apenas que não tem pistas concretas a respeito dos quadros de Picasso nem sobre o número de pessoas envolvidas no assalto.

Na ação de domingo, três homens usando roupas pretas e máscaras, um deles falando alemão com acento eslavo, forçaram sua entrada no museu e saíram com as obras em um carro branco, informaram policiais.

A polícia disse que uma recompensa de 100 mil francos suíços foi oferecida para quem der pistas que levem aos quadros.

As quatro pinturas roubadas foram “O Menino de Colete Vermelho” (1890), de Cézanne, “O Conde Lepic e Suas Meninas” (1871), de Degas, “Papoulas em Vetheuil” (1880), de Monet, e “Castanheiro em Flor” (1890), de Van Gogh.

A polícia elevou o valor dos quadros para 180 milhões de francos suíços (164 milhões de dólares), após dizer inicialmente que eles valiam 100 milhões de francos.

As obras foram levadas da coleção impressionista reunida pelo empresário suíço já falecido Emil Buehrle -- uma das figuras mais polêmicas do mundo empresarial por ter vendido baterias antiaéreas para a Alemanha nazista, durante a Segunda Guerra Mundial.

A Coleção Buehrle, localizada perto da Costa Dourada de Zurique, um conjunto de bairros ricos construídos à beira de um lago, diz possuir um dos conjuntos mais importantes de obras impressionistas e pós-impressionistas, segundo seu site (www.buehrle.ch).

Não foi possível encontrar imediatamente um porta-voz da coleção para falar sobre o caso.

Buehrle comprou quadros de 1951 até morrer, em 1956, segundo o site.

Os quadros de Picasso roubados, que valeriam, segundo meios de comunicação, 4,5 milhões de dólares, tinham sido emprestados do Museu Sprengel, de Hannover, na Alemanha.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below