12 de Fevereiro de 2008 / às 12:01 / em 10 anos

ENTREVISTA-Isabella Rossellini faz curtas sobre sexo de insetos

Por Erik Kirschbaum

BERLIM (Reuters) - Isabella Rossellini divertiu o público do Festival de Cinema de Berlim com cenas de sexo selvagem em uma série de curtas que ela dirigiu e no qual atua.

Intitulados coletivamente “Green Porno”, os curtas não devem ter problema com a censura porque Rossellini, um dos rostos mais conhecidos do cinema, está sempre totalmente vestida nos filmes -- em fantasias de inseto.

“Nunca chego a falar algo realmente sujo”, disse a diretora e atriz em entrevista à Reuters, antes de pronunciar um palavrão de quatro letras a título de exemplo da linguagem não empregada nos clipes de um minuto que mostram moscas, aranhas e lesmas fornicando.

“A intenção é colocar os curtas na Web disponíveis para todos. Falamos sobre sexo, mas a terminologia não é obscena. Os filmes são principalmente bem humorados e informativos.”

“A parte surreal é como nós os desenvolvemos visualmente”, disse ela após uma sessão em Berlim em que os curtas atraíram fortes aplausos.

Em seu inglês com sotaque italiano, ela explicou que as moscas fazem sexo várias vezes por dia.

“Há tentas coisas maravilhosas na natureza”, disse Rossellini, que fez os filmes para serem vistos em telas pequenas, como as de celulares, i-Pods e laptops, para o Sundance Channel. “Quero que as pessoas se divirtam e digam ‘uau, eu não sabia que moscas ou minhocas faziam isso”'.

A atriz, que esteve no Festival de Berlim muitas vezes ao longo dos anos, disse que não pretende diminuir seu ritmo de trabalho e que gostaria de dirigir mais, especialmente na vanguarda das novas tendências no cinema.

“Fazer filmes para a Web é completamente novo”, disse ela, que é filha da atriz sueca Ingrid Bergman e do diretor italiano Roberto Rossellini. “Sempre me interessei em fazer cinema experimental.”

Rossellini, que começou a trabalhar como modelo relativamente tarde, aos 28 anos, disse que não vê nada de extraordinário em começar a dirigir aos 55, mas observou que nos próximos meses vai atuar em três filmes importantes.

Indagada se pretende diminuir seu ritmo, ela respondeu: “Por que eu faria isso? Me diverti muito fazendo ‘Green Porno’ e pretendo continuar a atuar, dirigir e trabalhar como modelo. Por que parar agora?”

Casada por pouco tempo com o cineasta Martin Scorsese nos anos 1970, Rossellini disse que nem sempre foi fácil ter pais famosos e um ex-marido conhecido. Ela se queixou certa vez de que isso pode ter lhe custado trabalhos como atriz, já que algumas pessoas se sentiam intimidadas.

Mas admitiu que as vantagens foram maiores que as desvantagens e que seu nome e rosto ajudaram a viabilizar “Green Porno”, que foi rotulado como “GP” para evitar problemas com a alfândega.

“A imprensa vive comprimindo minha vida em duas sentenças”, disse ela, sorrindo. “É sempre ‘a filha de Ingrid Bergman’ ou ‘a ex-mulher de Martin Scorsese’ está atuando ou dirigindo. Mas qual é a conexão?”

“Eu cresci no meio do cinema, continuo a trabalhar com cinema, gosto de cinema, meus amigos fazem cinema e tive um marido cineasta. Isso não me prejudicou. Na verdade, até ajudou.”

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below