20 de Junho de 2008 / às 23:58 / em 9 anos

NY mergulha na Bossa Nova para show histórico de João Gilberto

Por Adriana Garcia

WASHINGTON (Reuters) - No ano em que a Bossa Nova completa meio século de vida, um dos fundadores do movimento tocará no Carnegie Hall, em Nova York --um local histórico que ajudou a disseminar o ritmo brasileiro mundo afora.

O violão suingado de João Gilberto subirá aos palcos durante o JVC Jazz Festival, no domingo, a fim de lembrar como seu jeito sutil e discreto de cantar e tocar samba transformou para sempre a música brasileira.

“A Bossa Nova é considerada um sinônimo de música brasileira fora do nosso país”, afirmou o crítico Zuza Homem de Mello, que publicou recentemente um livro sobre João Gilberto, 77.

O crítico é também curador de uma mostra sobre o movimento musical que ocorre em São Paulo, em julho.

A novidade surgiu oficialmente em 1958 com “Chega de Saudade”, uma canção que consagraria uma das parcerias mais bem-sucedidas da música brasileira, a parceria entre as composições de Tom Jobim e as interpretações de João Gilberto.

“João Gilberto foi a voz da Bossa Nova, e o compositor foi Antônio Carlos Jobim”, disse recentemente o músico brasileiro Sérgio Mendes, radicado em Los Angeles.

O Brasil atravessava então um período de otimismo e modernização, com a construção de uma nova capital, uma economia em ritmo acelerado e um líder eleito democraticamente, Juscelino Kubitschek, que ficou conhecido como “o presidente bossa nova”.

A nova batida conquistou os jovens jazzistas do Rio de Janeiro e tornou-se rapidamente popular entre a classe média.

Músicos norte-americanos como Burt Bacharach, que viajaram à época para se apresentar no Rio, entraram em contato com ritmo. E muitos jazzistas, entre os quais Stan Getz e Charlie Byrd, adotaram o novo estilo em suas composições e discos.

O som popularizou-se na metade dos anos 60 quando “Garota de Ipanema,” na gravação de Astrud Gilberto, João Gilberto e Stan Getz, tornou-se um sucesso internacional.

“A internacionalização da bossa nova ocorreu por causa do jazz. Os primeiros que a ouviram foram os jazzistas, muitos dos quais norte-americanos que visitaram o Brasil no final dos anos 50 e levaram discos ao regressarem para os EUA”, disse Zuza Homem de Mello.

Mas foi somente com o histórico show do Carnegie Hall, em 1962, que a Bossa Nova, apresentada por brasileiros, começou a conquistar o mundo. João Gilberto é considerado um gênio por uma legião de fãs devido à forma como combina o violão e a voz, conduzindo-os muitas vezes de forma inesperada.

Considerado como um perfeccionista, João Gilberto exige um esmero técnico absoluto ao se apresentar. E o músico raramente sai de seu apartamento no bairro do Leblon, no Rio.

Em vista disso, será algo especial para seus fãs vê-lo em Nova York e ouvi-lo tocar novamente no Carnegie Hall.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below