May 22, 2017 / 6:52 PM / in a year

Clint Eastwood lembra sonho de caubói e critica pensamento politicamente correto

CANNES, França (Reuters) - Clint Eastwood era igual a todos os meninos norte-americanos que cresceram assistindo a faroestes nos anos 1930 e 40, disse ele durante um seminário no Festival Internacional de Cinema de Cannes, quando contou sua ascensão de astro do cinema a diretor aclamado.

Clint Eastwood no Festival de Cannes 21/05/2017 REUTERS/Stephane Mahe

“Todo garoto queria estar em um faroeste e todo garoto queria carregar uma arma e montar um cavalo”, disse Eastwood, de 86, anos, a admiradores em uma aula magna que deu à parte durante o festival.

“Então, quando era garoto, gostava muito (de faroestes).”

Depois de interpretar o Estranho Sem Nome nos ‘bangue-bangues’ de Sergio Leone nos anos 1960, Eastwood se tornou “Dirty” Harry Callahan, o policial que violava todas as regras.

“Muitas pessoas acharam politicamente incorreto”, disse ele a respeito de “Perseguidor Implacável”, filme de 1971 no qual aponta sua pistola .44 Magnum contra os bandidos e lhes pergunta se estão se “sentindo com sorte” antes de puxar o gatilho.

“Isso foi no começo da era em que estamos agora, em que todos pensam que todos são politicamente corretos e estamos nos matando ao fazer isso, mas perdemos nosso senso de humor”, disse ele sobre os críticos do filme.

“Seja como for, eu o fiz, achei que era interessante, e era ousado na época, e essa foi a única razão. Armas grandes: era o maior sonho de um garoto”, completou.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below