June 25, 2018 / 3:32 PM / 4 months ago

Fotojornalista Goldblatt, que documentou o apartheid, morre aos 87 anos

JOANESBURGO (Reuters) - O premiado fotojornalista sul-africano David Goldblatt, que documentou o impacto do apartheid na vida de pessoas normais, morreu nesta segunda-feira de câncer aos 87 anos.

Fotojornalista sul-africano David Goldblatt, que faleceu nesta segunda-feira, posa para foto durante uma exposição em Gotemburgo, na Suécia, em 2006 25/11/2006 REUTERS/Moa Karlberg/Scanpix

Filho de imigrantes lituanos e criado em Joanesburgo, Goldblatt ganhou reconhecimento internacional nos anos 1960 e 1970 à medida que leis do apartheid entraram em vigor na África do Sul, culminando no levante de Soweto, em 1976.

Seus trabalhos mais recentes na era democrática registravam a vida de moradores de classe média, tanto negros como brancos, no centro das cidades.

Goldblatt recebeu o prêmio Commandeur des Arts et des Lettres do Ministério de Cultura francês em 2016 e um documentário sobre a sua vida estreou no ano passado.

As fotografias de Goldblatt mostram os “elementos silenciosos, mas igualmente comoventes do brutal regime do apartheid”, disse a Galeria Goodman em Joanesburgo, que exibiu muitos de seus trabalhos durante os 50 anos de sua carreira.

Reportagem de Mfuneko Toyana

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below