August 13, 2018 / 3:16 PM / a month ago

Glenn Close diz que, como personagem em "The Wife", está apenas começando

LOS ANGELES (Reuters) - Glenn Close pode ser conhecida por interpretar mulheres fortes e, frequentemente, impiedosas, mas, como sua personagem por muito tempo reprimida em “The Wife”, a atriz disse que somente agora está começando a se sentir confortável consigo mesma.

Atriz Glenn Close durante evento em Nova York 11/06/2017 REUTERS/Eduardo Munoz Alvarez

Glenn vive Joan, a esposa apagada de um romancista bem-sucedido, no filme que estreia nos Estados Unidos na sexta-feira, no momento em que mulheres em Hollywood e outros lugares estão exigindo mais voz.

As décadas que passou suprimindo seus próprios talentos e desejos para apoiar a carreira do marido começam a desmoronar quando ele vence o Prêmio Nobel de Literatura e um biógrafo começa a investigar a vida do casal.

“O filme demorou 14 anos para ser feito, e quem imaginaria que seria incrivelmente relevante?”, disse Glenn, de 71 anos, à Reuters. O filme é baseado no livro de mesmo nome de 2003 de Meg Wolitzer.

A atuação de Glenn foi muito elogiada pela crítica, desencadeando sugestões de que uma sétima indicação ao Oscar pode ser possível no ano que vem. A revista The Hollywood Reporter disse que a atriz “comanda o centro de ‘The Wife’: imóvel, formidável e impossível de desviar os olhos”.

Apesar de uma carreira de 40 anos que lhe rendeu três prêmios Emmy, três Tony e seis indicações ao Oscar, a estrela de “Atração Fatal” e da série dramática “Damages” diz sentir que está apenas começando.

“Eu desabrochei muito tarde. Precisei de muito tempo para aprender algumas coisas básicas. É por isso que de certo modo é maravilhoso e irônico para mim estar nesta altura da minha vida e sentir que é só o começo”, disse.

Glenn iniciou sua carreira de atriz no teatro nos anos 1970 e disse se sentir sortuda por ter tido sucesso em um trabalho pelo qual é tão apaixonada.

“Acho que estou em um momento da minha vida no qual finalmente aceitei certas coisas sobre mim mesma, e está tudo bem. O fato de que não sou uma pessoa muito social, que estou quase sempre na minha própria mente, não é um problema”.

“Eu me sinto mais feliz, mais calma e mais empolgada com a vida do que nunca”.

Reportagem da Reuters Television

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below