November 20, 2019 / 7:21 PM / 19 days ago

Príncipe Andrew suspende funções públicas por escândalo sexual

Por Andy Bruce e Michael Holden

Príncipe Andrew, Ascot, Reino Unido 20/06/2019. REUTERS/Toby Melville

LONDRES (Reuters) - O príncipe britânico Andrew deixou as funções públicas na quarta-feira, dizendo que a controvérsia em torno de sua associação mal julgada com o falecido financista norte-americano Jeffrey Epstein causou grande interrupção no trabalho da família real.

Andrew, o segundo filho da rainha Elizabeth, nega a alegação de que ele fez sexo com uma garota de 17 anos procurada por seu amigo Epstein, que se matou em uma prisão nos EUA enquanto aguardava julgamento por acusações de tráfico sexual.

O escândalo aumentou desde que as explicações desastrosas de Andrew em uma entrevista na TV, exibida no sábado, deixaram muitos telespectadores incrédulos, e sua aparente falta de compaixão pelas vítimas de Epstein provocou uma condenação generalizada.

Conforme a história dominava as manchetes pelo quarto dia e uma grande quantidade de negócios se distanciava das organizações e instituições de caridade associadas ao príncipe, ele disse que deixaria a vida pública por enquanto e conversaria com a polícia sobre Epstein.

“Ficou claro para mim nos últimos dias que as circunstâncias relacionadas à minha antiga associação com Jeffrey Epstein se tornaram uma grande interrupção no trabalho da minha família”, disse ele em comunicado divulgado pelo Palácio de Buckingham.

“Portanto, perguntei a Sua Majestade se posso renunciar aos deveres públicos no futuro próximo, e ela deu sua permissão”, disse ele.

“É claro que estou disposto a ajudar qualquer agência policial apropriada em suas investigações, se necessário.”

A conduta de Andrew se espalhou para o debate político antes das eleições parlamentares de 12 de dezembro. O líder do Partido Trabalhista de oposição, Jeremy Corbyn, disse que há perguntas a serem respondidas, embora o primeiro-ministro Boris Johnson tenha dito que a monarquia estava “irrepreensível”.

“Continuo a me arrepender inequivocamente da minha associação mal julgada com Jeffrey Epstein”, disse Andrew. “Seu suicídio deixou muitas perguntas sem resposta, principalmente para suas vítimas, e eu simpatizo profundamente com todos os que foram afetados e querem alguma forma de desfecho.”

As vítimas de Epstein exigiram que o príncipe respondesse perguntas das autoridades norte-americanas que investigavam o financista para lhes contar o que sabia.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below