for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Satirista e diretor de ópera britânico Jonathan Miller morre aos 85 anos

Foto de arquivo de Jonathan Miller em Londres em 1985 01/01/1985 REUTERS/Dylan Martinez

LONDRES (Reuters) - O satirista e diretor britânico Jonathan Miller, cuja carreira de mais de 50 anos incluiu a bem-sucedida comédia “Beyond the Fringe” e a direção de algumas das casas de ópera mais grandiosas do mundo, morreu aos 85 anos.

Em um comunicado emitido à mídia britânica, sua família disse que ele faleceu “pacificamente em casa... após uma longa batalha com o Mal de Alzheimer”.

Médico de formação, Miller decidiu deixar a profissão em que se iniciava em suspenso para buscar uma carreira como comediante.

Ele começou a se destacar no início dos anos 1960, quando apareceu no pioneiro programa “Beyond the Fringe” com Alan Bennett, Peter Cook e Dudley Moore.

O sucesso o ajudou a se tornar apresentador do programa de artes da BBC “Monitor” e diretor de peças no Teatro Nacional.

Ele estreou na direção em 1962 com “Under Plain Cover”, de John Osborne, e diversificou indo para a ópera nos anos 1970, quando trabalhou para a casa de ópera Glyndebourne e a Ópera Nacional Inglesa.

Miller também dirigiu óperas para o La Scala de Milão, a Ópera Metropolitana de Nova York, a Ópera Estadual da Baviera e a Ópera de Los Angeles.

Em 2016, a Ópera Nacional Inglesa comemorou sua associação de quatro décadas com a homenagem “Marvellous Miller”.

Por Stephen Addison

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up