for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Ex-aspirante a atriz diz que Weinstein prometeu "fazer algo por ela" antes de suposto ataque

Harvey Weinstein chega a tribunal para sequência de seu julgamento 31/01/2020 REUTERS/Lucas Jackson

NOVA YORK (Reuters) - Uma ex-aspirante a atriz disse a um júri de Manhattan nesta sexta-feira que Harvey Weinstein a convidou para ir ao seu quarto de hotel para ler um roteiro de filme e, depois de dizer que iria “fazer algo por ela”, o ex-produtor de Hollywood a agrediu sexualmente.

Weinstein, de 67 anos, se declara inocente das acusações de estupro contra Jessica Mann e de agressão sexual contra outra mulher, Mimi Haleyi. Desde 2017, mais de 80 mulheres acusaram Weinstein de má conduta sexual.

O julgamento é amplamente visto como um marco no movimento #MeToo, no qual mulheres acusaram homens poderosos nos ramos de negócios, entretenimento, mídia e política de má conduta sexual.

Mann, agora com 34 anos, afirmou durante o julgamento que conheceu Weinstein no final de 2012 ou no início de 2013 em uma festa em Los Angeles e que ele disse a ela que estava interessado nela como atriz.

Após várias reuniões, de acordo com testemunho de Mann, Weinstein a convidou para ir a um hotel em Los Angeles para ver um roteiro de um filme de vampiro. Quando eles chegaram ao local, disse Mann, Weinstein a puxou para um quarto, deixando a amiga dela de fora.

Weinstein não está sendo acusado por esse suposto incidente descrito por Mann, mas ele é acusado de estuprá-la posteriormente. Weinstein, que produziu filmes como “O Paciente Inglês” e “Shakespeare Apaixonado”, nega as acusações e afirma que todos os encontros sexuais foram consensuais.

Reportagem de Brendan Pierson em Nova York

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up