for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Júri de Weinstein conclui primeiro dia de deliberações em julgamento de estupro

Produtor de cinema Harvey Weinstein. 18/2/2020. REUTERS/Eduardo Munoz

NOVA YORK (Reuters) - O júri no julgamento do ex-produtor de Hollywood Harvey Weinstein por estupro terminou o primeiro dia de deliberações na terça-feira.

O júri composto por sete homens e cinco mulheres em Manhattan começou suas discussões após o juiz responsável pelo caso alertar a principal advogada de defesa de Weinstein, Donna Rotunno, para que não conversasse com a imprensa até que os jurados chegassem a um veredito.

O aviso acontece dois dias depois de a advogada escrever um artigo de opinião sobre o caso na revista Newsweek.

“Eu alertaria sobre os tentáculos de sua avalanche de relações públicas”, afirmou o juiz James Burke a Rotunno.

Rotunno disse a Burke que o artigo opinativo, publicado no sábado e entitulado “Jurados no caso do meu cliente Harvey Weinstein devem olhar além das manchetes” não tinha a intenção de se dirigir ao júri diretamente.

“É um artigo opinativo editorial sobre o sistema de jurados como um todo, sobre o sistema de justiça criminal como um todo”, disse a advogada.

A promotora Joan Illuzzi pediu que Burke revogasse a fiança de Weinstein e o aprisionasse, dizendo que o magistrado deveria ter aprovado o artigo da Newsweek, que segundo ela “chega perto de manipular o júri”. O juiz não acatou o pedido.

Reportagem de Brendan Pierson

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up