for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

"Mulan" estreia com tapete vermelho enquanto Hollywood monitora avanço do coronavírus

LOS ANGELES (Reuters) - A Walt Disney realizou uma estreia com tapete vermelho de seu épico de ação “Mulan” na segunda-feira, levando o lançamento do filme adiante apesar de a disseminação do coronavírus mantê-lo longe dos cinemas da China, o segundo maior mercado do mundo, por tempo indeterminado.

Atriz Liu Yifei posa no tapete vermelho da pré-estreia de "Mulan" em Los Angeles 09/03/2020 REUTERS/Mario Anzuoni

No momento, os estúdios de cinema decidiram que o show deve continuar nos cinemas da maior parte do planeta. A grande exceção é “007 – Sem Tempo para Morrer”, que os produtores adiaram de abril para novembro.

Os executivos dos estúdios estão acompanhando atentamente a proliferação do coronavírus e o calendário de lançamentos. A temporada de verão nos EUA deve começar em 1º de maio com a aventura da Marvel “Viúva Negra”, seguida por um novo filme da franquia “Velozes e Furiosos”, uma sequência de “Top Gun – Ases Indomáveis” e outros filmes de ação de grande orçamento.

Se o coronavírus mantiver as pessoas em casa ou fechar mais cinemas, ameaçará as receitas das bilheterias durante a estação mais lucrativa de Hollywood. As salas de exibição estão fechadas na China e na Itália e em parte da França.

A situação coloca os estúdios em “águas nunca navegadas”, disse Jeff Goldstein, presidente de distribuição doméstica do estúdio Warner Bros.

A Warner Bros. não adiou nenhuma estreia, disse Goldstein. “Teremos que analisar tudo e ver como se desenrola”, afirmou.

A Associação Nacional de Proprietários de Cinema dos Estados Unidos disse que a frequência da salas continua boa na maioria dos cinemas e que estas continuarão abertas, de acordo com as condições locais.

No último final de semana, a venda de ingressos nos EUA e no Canadá aumentou 1,2% em relação à semana anterior e chegou a 100,7 milhões de dólares, de acordo com uma medição da consultoria Comscore.

“Neste momento, não vejo nenhum impacto percepitível na bilheteria (dos EUA e no Canadá)”, disse Paul Dergarabedian, analista sênior de mídia da Comscore.

Espera-se que “Mulan”, refilmagem de 200 milhões de dólares do desenho clássico da Disney, fique entre os maiores sucessos da empresa neste ano.

O filme foi concebido especialmente para agradar o mercado chinês. A história gira em torno de uma heroína chinesa, conta com um elenco inteiramente asiático e foi rodado em parte na China.

Reportagem adicional de Omar Younis

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up