for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Estúdio de cerâmica em Nova York vende "kits quarentena" para sobreviver na pandemia

13/05/2020 REUTERS/Jillian Kitchener

NOVA YORK (Reuters) - Para a nova-iorquina Victoria Rosenblatt, de 64 anos, desistir de seu hobby de produzir cerâmicas durante o stress da quarentena imposta na pandemia de coronavírus não era algo que ela gostaria de contemplar.

Mas, quando seu estúdio local de cerâmica teve de ser fechado, ela adquiriu um mini-torno de oleiro com o qual pode produzir pequenas panelas e jarras em casa.

O Mouse Ceramic Studio, no bairro do Brooklyn, em Nova York, está entre as milhares de pequenas empresas que tiveram de tentar encontrar maneiras para se reinventar durante a quarentena por conta do coronavírus, que está agora em seu terceiro mês em Nova York, o epicentro da epidemia nos Estados Unidos.

O negócio que anteriormente era próspero, com aulas presenciais e festas, viu sua receita despencar, contou o proprietário Pedro Ramirez.

“É como um efeito cascata. Se o banco quer seu dinheiro, então nosso locatário quer o dinheiro dele e temos de pagar mesmo sem podermos abrir”, disse.

Como resposta, ele desenvolveu alternativas como aulas online para pessoas que queiram tentar esculpir à mão, sem um torno em casa, vendendo blocos de argila -- e um “kit auarentena”, de 200 dólares.

O kit tem um uma mini-roda de oleiro de 4,4 centímetros e ferramentas fabricadas através de hashis. Segundo Ramirez, a demanda superou o estoque.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up