for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Fechada pelo coronavírus, exposição de pintor renascentista Rafael em Roma reabrirá em junho

Obra do mestre renascentista Rafael em exposição em Roma 04/03/2020 REUTERS / Remo Casilli

ROMA (Reuters) - Uma exposição que comemora os 500 anos da morte do artista renascentista Rafael irá reabrir no dia 2 de junho em Roma e ficará em cartaz até o dia 30 de agosto, após ter sido fechada por conta do isolamento imposto pela Covid-19.

O evento na galeria Scuderie del Quirinale abriu no dia 5 de março, mas foi fechado após apenas três dias enquanto a Covid-19, a doença respiratória causada pelo novo coronavírus, se espalhava pela Itália.

A exibição deveria terminar no dia 2 de junho, mas seus organizadores disseram em nota nesta segunda-feira que chegaram a um acordo com museus de todo o mundo, incluindo o Prado, de Madri, a National Gallery de Londres e National Gallery of Art, de Washington, para estender o período de empréstimo das obras por três meses.

Rafaello Sanzio da Urbino, conhecido no ocidente apenas como Rafael, nasceu em 1483 e morreu com apenas 37 anos após uma doença repentina em Roma. Ele foi um dos artistas mais celebrados de seu tempo.

“A exposição oferece a oportunidade de admirar a concentração de trabalhos de Rafael que nunca foram vistos juntos em um mesmo local”, disse Eike Schmidt, diretor do Museu Uffizi de Florença. “Estamos muito contentes em estender o empréstimo de cerca de 50 obras primas por quanto tempo for necessário”, acrescentou.

Reportagem de Angelo Amante

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up