May 28, 2020 / 4:48 PM / a month ago

Vida imita arte em grupo russo que recria obras com itens do cotidiano

Grupo recria tela "Caçadores descansando", de Vasily Perov 28/05/2020 Natalia Eriksen Harvey/Handout via REUTERS

MOSCOU (Reuters) - Um grupo do Facebook em língua russa que começou como uma tentativa lúdica de amigos de passar pelo período de isolamento recriando obras de arte usando itens do cotidiano tornou-se um sucesso global inesperado.

O projeto—Izoizolyacia—foi lançado no final de março, logo após o presidente Vladimir Putin ordenar à Rússia que adotasse medidas para tentar impedir a propagação do novo coronavírus.

Em um dia, ele reuniu 2.500 membros. Agora, tem mais de 600.000, com pessoas de todo o mundo enviando suas versões de obras-primas famosas usando de tudo, desde vegetais até roupas velhas.

“É um filho da situação de quarentena de hoje, porque nada disso teria acontecido sem ela”, disse a co-fundadora Katerina Brudnaya-Chelyadinova, que nunca pensou que a ideia se tornaria tão popular.

“É um conteúdo interessante, fácil de produzir, cheio de humor e ajuda a distrair ao olhar essas obras”, afirmou ela.

Algumas das criações do grupo incluem versões de autorretratos de Henri Matisse e Vincent Van Gogh, “O Grito”, de Edvard Munch, feita com chinelos e roupas, e a pintura “Square Square”, de Kazimir Malevich.

Os co-fundadores do grupo dizem que moderar o projeto se tornou uma ocupação em tempo integral, pois centenas de novas obras de arte chegam diariamente de todo o mundo.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below