for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Artista Christo, conhecido por embrulhar exterior de construções, morre aos 84 anos

Artista Christo posa em frente à sua obra Mastaba de Londres no Hyde Park 18/06/2018 REUTERS/Simon Dawson

(Reuters) - Christo, o artista búlgaro conhecido por instalações temporárias com as quais embrulhava o exterior de edifícios emblemáticos, pontes e espaços externos, morreu no domingo de causas naturais em sua casa na cidade de Nova York aos 84 anos.

“Christo viveu sua vida plenamente, não só sonhando o que parecia impossível, mas realizando-o”, disse o escritório do artista, nascido Christo Yavacheff, em um comunicado.

Christo fugiu da então comunista Bulgária em 1957, indo primeiramente a Praga e depois para Viena e Genebra. Um ano depois ele se mudou para Paris, onde conheceu sua esposa e parceira artística, Jeanne-Claude Denat de Guillebon. Ele morou em Nova York durante 56 anos.

Em 2018, ele apresentou “A Mastaba de Londres”, uma escultura de 20 metros de altura de uma antiga tumba egípcia feita com 7.506 canos vermelhos, brancos e malva empilhados em uma plataforma sobre um lago do Hyde Park londrino.

Christo e Jeanne-Claude, que morreu em 2009, também são conhecidos por obras como “Os Portões”, uma instalação de 2005 montada no Central Park nova-iorquino, e o embrulho do Reichstag de Berlim em uma cortina prateada imensa em 1995.

Seu projeto mais recente previa embrulhar o Arco do Triunfo parisiense em 25 mil metros quadrados de polipropileno reciclável azul prateado e 7 mil metros de corda vermelha.

Por Tsvetelia Tsolova em Sófia

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up